Início » Arquivos para Horta

Autor: Horta

Viajar barato

Viajar barato: confira 7 dicas para economizar na trip!

Quer viajar, mas não pretende gastar muito? Pois saiba que, dependendo do destino, é possível economizar bastante! Inclusive, dessa forma, é possível realizar mais viagens durante o ano. Afinal, quem não gosta, não é mesmo?!

Contudo, viajar barato exige atenção e planejamento.

Gramado, RS: veja 5 dicas para visitar a Serra Gaúcha
Primeira viagem de avião: entenda 4 pontos essenciais
Melhores destinos nacionais: veja 5 maravilhas litorâneas brasileiras

Pensando nisso, listamos 7 dicas para que você possa viajar tranquilo(a) e sem gastar muito. Confira!

#1 – Viajar barato: escolha do destino

Para viajar barato, uma dica indispensável é: NÃO tenha preguiça de pesquisar! Pesquise muito, vá a fundo em todos os sites, leia resenhas em blogs, relatos em vídeos no YouTube, compare preços e benefícios ao escolher o destino.

Para você conseguir analisar melhor qual será a média de custo da cidade escolhida, verifique a faixa de preço das hospedagens – possui opções “em conta”, ou apenas locais caros? Muitas das vezes, esses preços refletem os valores dos comércios locais também – informações que já dão uma boa dimensão do que realmente será gasto.

#2 – Viajar barato: períodos de baixa temporada são os ideais

Aqui no blog, já falamos sobre o período de alta temporada – no qual os preços sobem consideravelmente, quando comparado às demais épocas do ano.

Nesse sentido, importante frisar que essa informação é quase que unânime – toda cidade turística possui períodos de alta temporada.

Portanto, recomendamos que opte pela baixa temporada, ao menos no planejamento.

Só para ilustrar, sabemos que cidades como Gramado (RS), Campos do Jordão (SP) e Monte Verde (MG), são “frias”, portanto, seu período de alta é no inverno, certo? Então, se mesmo assim quiser ir para um desses destinos durante essa época e economizar, compre as passagens e faça a reserva da hospedagem durante o verão, por exemplo. Garantimos que centenas de reais serão poupadas!

#3 – Viajar barato: Pesquise as atrações gratuitas do local

A maioria das cidades possuem excelentes pontos turísticos gratuitos a serem visitados e admirados. Ao definir o local, já faça uma prévia lista dos lugares que não cobram ingressos para visitação. Dessa forma, você não deixa de aproveitar a cidade, tira excelentes fotos (se gostar) e ainda poupa dinheiro.

Mas, a fim de otimizar tempo também, reforçamos a importância da pesquisa – ainda mais se for a sua primeira visita ao destino.

#4 – Use transporte público

Um ótimo meio para deslocamento entre os pontos turísticos e até mesmo entre as cidades é o transporte público. Portanto, também não deixe de pesquisar e anotar quais são os meios mais utilizados na cidade de destino: ônibus? Trem? Balsa? Anote os preços médios de cada opção e pré-determine as rotas.

#5 – Reserve hostels

Mencionamos os preços das hospedagens no primeiro tópico: avalie o chamado “custo-benefício”. Resumidamente, os hostels – popularmente conhecidos como albergues –, cobram diárias muito mais baixas em quartos coletivos do que um hotel. Sendo assim, você economiza uma grana e conhece pessoas novas!

Entretanto, se a sua personalidade for mais “reservada” e você preferir um conforto maior, busque promoções de hotéis locais, também vale muito a pena.

#6 – Evite aquelas “comprinhas básicas”

Ah, quem nunca viajou para algum lugar e comprou “lembrancinhas” para parentes ou amigos, não é?!

Só que são esses pequenos objetos e outras “pequenas comprinhas” que acabam pesando nos gastos finais. Evite e verá a diferença no orçamento!

#7 – Alimentação: opte por food trucks ou prepare suas refeições!

O gasto com alimentação é obviamente indispensável, mas é possível economizar nesse ponto também!

As famosas “comidas de rua” possuem ótimos preços e são deliciosas. Além disso, na rotina de um hostel, é normal preparar a própria refeição, uma vez que há uma cozinha coletiva para os hóspedes.

Comidas em restaurantes famosos ou shoppings são mais caros.

 

E aí, anotou as dicas para viajar barato? Para mais dicas de viagem, continue acompanhando o blog da Quick.

Por fim, já sabe: o voo atrasou ou cancelou? Nos envie o seu caso e, se aprovado, garanta R$ 1.000,00 em 02 dias.

Postado em: julho 6, 2020

Roteiro Austrália

Roteiro Austrália: 5 coisas que você precisa saber antes de viajar!

Conhecer a Austrália é literalmente viajar para o outro lado do mundo. O país, localizado na Oceania, conta com muitas maravilhas naturais, animais raramente encontrados em outras partes do mundo, cidades agitadas e moradores receptivos que atraem muitos turistas todos os anos.

Mas, para aproveitar bem a trip, o Roteiro Austrália é indispensável.

Deserto do Atacama: 6 pontos para o seu roteiro de viagem!
Roteiro de Viagem: confira 08 dicas para se preparar!
Perdi meu voo! Quais são meus direitos?  

Portanto, a fim de te ajudar, listamos nesse post 5 coisas que você precisa saber antes de viajar. Pegue papel e caneta ou a agenda do celular para anotar as nossas dicas. Confira!

#1 – Roteiro Austrália: por onde começar?

Como falamos logo na primeira frase desse post, conhecer o país é viajar para o outro lado do mundo. Logo, são muitas horas de viagem, com grandes chances de jet lag e outros fatores que exigem um certo tempo para se adaptar e estar preparado para “turistar”.

Sendo assim, uma das primeiras recomendações que fazemos é: faça o planejamento para pelo menos 15 dias de viagem. Dessa forma, você poderá aproveitar diversos lugares em um espaço confortável de tempo. Importante frisar que esse período é o mínimo.

#2 – Roteiro Austrália: saiba sobre a cultura local

A população australiana é conhecida por sua cultura acolhedora. Isso porque, de acordo com informações do Portal Australian Centre, o país é formado por 23 milhões de habitantes, e cerca de 47% dessa população é formada por estrangeiros ou pessoas que possuem pai ou mãe nascidos no exterior.

Só para ilustrar, os brasileiros sempre foram muito bem recebidos. Por lá, é possível se deparar com algumas características que possuem clara influência brasileira. Dentre elas, o consumo de açaí, uso de sandálias Havaianas, os biquínis das australianas, etc.

Festas ao ritmo brasileiro em Sydney, Gold Coast, Perth ou Brisbane? Temos!

#3 – Roteiro Austrália: cidades turísticas indispensáveis

Para uma viagem “daquelas”, deixaremos abaixo algumas sugestões de cidades e passeios para que você possa colocar na sua lista: seja sozinho(a), com amigos ou família:

– Canberra

Roteiro Austrália - Canberra

Imagem: Pinterest

Canberra é a capital da Austrália e é conhecida por sua limpeza e organização. Sua arquitetura – muito bem pensada e executada – é de deixar qualquer um de boca aberta.

Denominada como “jardim-cidade”, Canberra não possui praias, mas possui um lago artificial enorme no centro.

– Sydney

Roteiro Austrália - Sydney

Imagem: Trip Advisor

Além de ser a maior cidade do país, Sydney conta com a Opera House, um dos cartões postais mais conhecidos da Austrália. É localizada no Estado de Nova Gales do Sul.

Ademais, todo réveillon é cenário de enormes queimas de fogos, e tornou-se um dos destinos mais disputados do mundo.

– Brisbane

Brisbane

Brisbane conta com feirinhas ao ar livre, locais para churrascos e acredite: possui uma praia artificial no centro. De modo geral, sua estrutura é de uma grande cidade. Contudo, não deixa de ser um lugar consideravelmente tranquilo.

A cidade é destino de muitos intercambistas que encontram ótimas oportunidades de emprego.

– Melbourne

Melbourne

Imagem: Portal Cidades em Fotos

Ao falar da Austrália, é impossível que Melbourne fique de fora da lista. Localizada no menor estado do país, Victoria, é a queridinha dos turistas.

A qualidade de vida oferecida aos moradores e intercambistas de longe é uma das características marcantes, e é super movimentada! Mas, atenção: para ir à Melbourne, é necessário estar preparado(a) para enfrentar as quatro estações do ano em um único dia – é bem comum!

 

– Hamilton Island

Hamilton Island

Em Hamilton Island, encontramos as maiores maravilhas submarinas do mundo: a Barreira de Corais com centenas de animais marinhos, misturados em espécies raras e comuns.

Entretanto, recomendamos que esse passeio seja previamente agendado, porque está sempre lotado de turistas e a fila é grande, viu?

– Gold Coast

Gold Coast

Imagem: Portal Australian Centre

Gold Coast é uma cidade litorânea mega agitada! Conta com diversos shows, espetáculos, teatros e cinemas. Está situada ao leste australiano e seu cenário paradisíaco vale muito a pena ser visto de perto.

Por fim, reforçamos que as cidades acima são apenas algumas das diversas maravilhas do país!

#4 – Como os meios de transporte funcionam?

Para se deslocar entre as cidades, há três opções: balsas, trens e ônibus.

Dentre esses meios, o mais utilizado é o trem. São pontuais, bem estruturados e limpos.

Porém, o ônibus é uma ótima opção também, pois é eficiente e pontual, características que evitam a superlotação de passageiros.

Para pagar os transportes, os passageiros utilizam um cartão – parecido com um de crédito – debitado ao final de cada trajeto.

#5 – Roteiro Austrália: Gastronomia 

Se você está com um certo receio do que vai encontrar lá no quesito gastronômico, pode se despreocupar! A gastronomia local é a mais variada possível, e com certeza terá algo que se encaixe com o seu gosto.

Todavia, se estiver a fim de realmente conhecer a rotina alimentar dos australianos, adiantamos que aussie meat pie (semelhante a uma empada com recheio de carne), fish and chips (peixe com fritas) e os hamburgers são os pratos mais pedidos.

Os moradores são tão apaixonados por hamburguerias, que incluíram o cardápio no breakfast (café da manhã).

Esses são os pratos mais conhecidos, mas garantimos que a culinária de modo geral é bem caprichada e é incrível explorar todos os sabores possíveis.

 

E aí, anotou as dicas para seu Roteiro Austrália? Para continuar recebendo dicas de viagem, é só ficar de olho aqui no blog da Quick.

Além disso, já sabe: voo cancelou ou atrasou? Nos envie o seu caso e, se aprovado, garanta R$ 1.000,00 em 02 dias.

Postado em: junho 29, 2020

Natal Luz Gramado

Natal Luz Gramado: conheça o espetacular evento gaúcho

O Natal é uma das datas comemorativas mais esperadas do ano. Afinal, é a época de celebrar em família, amigos e claro, lembrar do verdadeiro espírito natalino.

Nesse sentido, os eventos criados para essa data estão se superando a cada dia, dando um show de beleza e criatividade. E um dos grandes destaques da vez é o Natal Luz Gramado.

Gramado, RS: veja 5 dicas para visitar a Serra Gaúcha
Primeira viagem de avião: entenda 4 pontos essenciais
Deserto do Atacama: 6 pontos para o seu roteiro de viagem!

Se você pretende mudar a programação e planejar com uma antecedência confortável, vai adorar saber o que a cidade gaúcha reserva. Por isso, nesse post, te contamos tudo sobre o evento!

Natal Luz Gramado: sobre o evento

O Natal Luz Gramado entrará na sua 35ª edição este ano. Ocorrerá entre os meses de outubro de 2020 e janeiro de 2021, e contará com diversos shows e espetáculos – pagos e gratuitos.

Além das semanas de atrações, a decoração brilhante e extremamente caprichada é uma de suas características marcantes. É impossível não se impressionar com tamanha beleza.

Como o Natal Luz Gramado surgiu?

O evento foi criado em 1986, a fim de atrair o público para a Festa das Hortênsias, que há cerca de 60 anos projetou Gramado para o turismo.

O atrativo foi essencial, uma vez que o período de final de ano é de baixa temporada na cidade.

Nessa primeira edição, o Prefeito juntamente ao Secretário de Turismo, buscaram referências internacionais e foram além de uma decoração vistosa. Então, contaram com a OSPA – Orquestra Sinfônica de Porto Alegre e realizaram um grande coral, repleto de músicas natalinas. O evento foi definitivamente um sucesso, e marcou de vez o calendário turístico de Gramado.

Viajar para Gramado nesse período é muito caro? Entenda a média de valores

Consideravelmente sim. Principalmente quando nos referimos ao mês de dezembro, no qual as hospedagens ficam muito mais caras.

Se você priorizar a economia na trip, pode considerar viajar em novembro ou até mesmo janeiro. Além disso, como mencionamos no início do texto, há atrações pagas e gratuitas.

Os ingressos dos espetáculos pagos custam em média R$ 170,00 por pessoa (a partir de 4 anos de idade, valores de 2019). Idosos, doadores de sangue e estudantes pagam meia entrada, basta apresentar os documentos comprobatórios. Ademais, clientes Bradesco também possuem descontos.

Apesar de não ser pouco gasto, podemos afirmar que o Natal Luz Gramado é uma experiência que vale a pena conferir de perto pelo menos uma vez.

Os ingressos podem ser adquiridos no próprio site do evento, só clicar neste link. Mas, atenção às regras: o limite de compra de ingressos é 10 por CPF, e são enviados por e-mail apenas após a confirmação de pagamento.

Taxas de conveniência não são cobradas.

Como escolher o melhor lugar para assistir aos espetáculos?

O Portal Viagens Cinematográficas deixou algumas dicas de ouro sobre o Natal Luz Gramado. Dentre elas, o melhor lugar para apreciar os espetáculos: as áreas próximas ao tapete vermelho ou área VIP são ideais. Contudo, atente-se, pois são lugares mais caros – na faixa de R$ 300,00 por pessoa.

Indicações de espetáculos

– Reencontros de Natal (Show Lago Illumination);

Reencontros de Natal (Show Lago Illumination)

– Parada de Natal;

Parada de Natal Gramado

– Desfile “A Magia do Natal”;

Desfile A Magia do Natal Gramado

– Natal pelo Mundo.

Espetáculo Natal Pelo Mundo

 

A programação completa está neste link.

Por fim, reforçamos nossa dica de ouro para as viagens: procure fazer as reservas de hospedagens e a compra das passagens o mais cedo que puder. Dessa forma, você economiza, minimiza as chances de imprevistos e curte a trip da melhor forma possível!

E já sabe, se tiver problemas com cancelamentos ou atrasos de voo, conte com a Quick: envie o seu caso e receba R$ 1.000,00 em 02 dias.

Postado em: junho 22, 2020

alta temporada de viagens

Alta temporada de viagens: qual é a melhor época para viajar?

Quem faz muitas viagens por ano sabe: o período de alta temporada é complicado, pois os preços ficam incrivelmente mais altos do que o normal. Imagine solicitar uma hospedagem – em cima da hora – em Monte Verde (MG) ou Campos do Jordão (SP) no inverno, por exemplo. Tem que se preparar para desembolsar uma boa grana.

Gramado, RS: veja 5 dicas para visitar a Serra Gaúcha
Fernando de Noronha: 5 dicas para conhecer o paraíso brasileiro!
Primeira viagem de avião: entenda 4 pontos essenciais

Nesse sentido, algumas dúvidas sobre o assunto são muito comuns, e é por isso que elaboramos esse post. Então, confira e anote as dicas para viajar no momento certo!

#1 – O que realmente é a alta temporada?

Quando ouvimos falar sobre alta temporada em determinado destino, isso implica dizer que é o período onde há maior concentração de turistas, quando comparado aos outros meses do ano. Consequentemente, é o momento no qual as passagens, hospedagens e até mesmo os estabelecimentos comerciais estão com os preços elevados.

Geralmente, o período mais comum é o de férias coletivas e escolares. Já marcou aquele passeio em família em um parque aquático e quase não achou lugar para estacionar, ou enfrentou filas gigantescas? É o pico da alta temporada.

Esse termo é aplicável para viagens nacionais e internacionais.

#2 – Período de alta temporada no Brasil

Aqui no Brasil, o período de alta temporada está concentrado nos meses de janeiro, julho e dezembro.

Além disso, os feriados prolongados nas outras épocas do ano também costumam lotar de turistas. Afinal, todo mundo quer “descansar” um pouco.

Mas, se ainda assim você optar por essa época do ano para viajar em família, o segredo para minimizar a “confusão” é a antecedência no planejamento.

Por outro lado, há grandes chances de você fugir desse fluxo intenso de turistas e altos preços, se considerar viajar nos outros períodos – não citados acima.

Tudo também vai depender do seu destino: se prefere o inverno, cidades como Domingos Martins (ES) e Gonçalves (MG), por exemplo, estarão com altos preços. Se prefere verão, destinos como Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), Fortaleza (CE) e afins que estarão mais caros.

#3 – Opções mais “tranquilas” para viajar

Alta temporada de viagens - Chapada dos Veadeiros - Goiás
Chapada dos Veadeiros – Goiás

Até agora, citamos algumas cidades que são muito populares no Brasil. Contudo, o país conta com uma lista gigantesca de maravilhas e, algumas delas, consideravelmente escondidas, onde poucos turistas vão.

É o exemplo da Chapada dos Veadeiros – localizada em Goiás. Para quem é fã do contato direto da natureza e apreciador(a) de belíssimas paisagens e cachoeiras, podemos afirmar que é o lugar ideal. Ademais, deixaremos abaixo uma breve lista de lugares que valem super a pena visitar:

Caraíva, Bahia;

Alta temporada de viagens - Caraíva, Bahia

– Galinhos, Rio Grande do Norte;

Galinhos, Rio Grande do Norte

– Japaratinga, Alagoas;

Japaratinga, Alagoas

– Presidente Epitácio, São Paulo;

Presidente Epitácio, São Paulo

– Paranapiacaba, São Paulo;

Paranapiacaba, São Paulo

E aí, ficou mais clara a questão da alta temporada de viagens? Para continuar recebendo mais informações e dicas, é só acompanhar o blog da Quick.

Por fim, já sabe: cancelamentos ou atrasos de voos atrapalharam a sua viagem? Envie o seu caso agora mesmo!

Postado em: junho 15, 2020

Tarifas aéreas

Tarifas aéreas: confira o que realmente deve ser cobrado!

É permitido e consideravelmente comum que as companhias aéreas cobrem tarifas dos passageiros, relacionadas à utilização de alguns serviços.

Mas, a fim de evitar possíveis confusões, o ideal é saber exatamente quais são as tarifas aéreas que devem ser pagas.

Tráfego Aéreo: o que é e como funciona? Entenda em 3 pontos!
Fernando de Noronha: 5 dicas para conhecer o paraíso brasileiro!

Melhores destinos nacionais: veja 5 maravilhas litorâneas brasileiras

Por isso, nesse post, tiraremos todas as suas dúvidas sobre o assunto. Confira!

Tarifas aéreas: Atualizações

A Infraero (empresa federal brasileira de administração indireta vinculada ao Ministério da Infraestrutura), atualizou os valores de algumas tarifas no final de 2019. Esses valores entraram em vigor em fevereiro deste ano.

Contudo, importante frisar que alguns valores, como das tarifas de embarque, variam de acordo com a categoria de cada aeroporto. Inclusive, de acordo com a ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil, as tarifas de embarque são as únicas que devem ser pagas pelo passageiro, com a finalidade de remunerar a prestação de serviços, instalações e facilidades disponibilizadas pela empresa concessionária.

Tarifas de Embarque – viagens nacionais e internacionais

O valor da tarifa de embarque doméstico varia entre R$ 22,50 a R$ 34,57 nos aeroportos correspondentes à Infraero.

Já em relação ao valor da tarifa de embarque internacional, está entre R$ 84,06 a R$ 127,02. Vide tabela.

Comprei minha passagem aérea e os valores passaram por reajustes, o que faço?

Isso é muito comum de acontecer, principalmente quando se trata de viagens planejadas, uma vez que os viajantes costumam as comprar passagens meses antes.

Todavia, não é necessário se preocupar com essa questão, pois o valor da compra que é sempre válido.

Posso pedir reembolso da minha tarifa aérea?

A solicitação de reembolso só é considerada quando o cliente comprou a passagem e pagou a tarifa aérea, porém, não viajou de fato.

Nesse sentido, a ANAC regulamentou o direito de o passageiro receber seu dinheiro pago pelo embarque, pouso e permanência no aeroporto de volta. Isso se deve ao fato de não ter feito o uso da estrutura do local – que é mantida por essa tarifa.

Mas, fique bem atento(a), pois o processo de reembolso não é automático. Ou seja, se você não solicitar, não receberá o dinheiro. Além disso, há um prazo para essa solicitação – cada cliente tem até 1 ano após a data do voo perdido para pedir a compensação.

O pedido é feito diretamente à companhia aérea. Se tudo estiver em dia e a empresa se recusar a devolver o dinheiro, o ideal é recorrer à ANAC ou aos órgãos de defesa ao consumidor.

E só para ilustrar, algumas companhias aéreas cobram multa por cancelamento de passagem, contudo, o valor não é incidente à tarifa de embarque.

Tarifa de embarque não é o mesmo que taxa de serviço

Algumas pessoas podem acabar confundindo as tarifas de embarque com taxas de serviço. É essencial não misturar os termos, pois as taxas de serviço podem ser cobradas por sites comparadores de passagens, agências de turismo, agências de intercâmbio e afins. Em outras palavras, as taxas de serviço estão diretamente ligadas a essas empresas e não ao embarque em si.

É por isso que podemos ver que, quando compramos uma passagem direto pelo site da companhia aérea, por exemplo, as taxas de serviço geralmente não são cobradas.

Tarifas aéreas: é preciso se preocupar com outros valores possivelmente cobrados?

Isso dependerá dos serviços solicitados pelo passageiro. Uma questão normal é a tarifa nas bagagens – que, agora, só é realmente cobrada caso o viajante precisar levar bagagens que ultrapassem os limites estabelecidos pela companhia aérea. Procure sempre verificar essas informações antes de viajar.

 

Em suma, as tarifas aéreas para o passageiro são mínimas – as demais existentes são entre os aeroportos, companhias aéreas e órgãos responsáveis. Fique sempre atento(a) aos valores cobrados.

E já sabe: se o seu voo cancelou ou te fez chegar com mais de 4h de atraso ao destino final, conte com a Quick. É só clicar aqui e enviar o seu caso.

Postado em: junho 8, 2020

Tráfego Aéreo

Tráfego Aéreo: o que é e como funciona?

As viagens de avião estão há muitos anos facilitando bastante a vida de quem precisa de rapidez e praticidade em trajetos longos, ou até mesmo nos consideravelmente curtos. Mas, a fim de manter a organização e garantir a segurança de todos os passageiros, há o total controle do tráfego aéreo.

Nesse sentido, é possível já ter ouvido por aí sobre o assunto ou até mesmo você pode ter sido “prejudicado(a)” por ele, uma vez que se trata de uma justificativa bem comum para atrasos ou cancelamentos de voos.

Gramado, RS: veja 5 dicas para visitar a serra gaúcha!
Fernando de Noronha: 5 dicas para conhecer o paraíso brasileiro!
Melhores destinos nacionais: veja 5 maravilhas litorâneas brasileiras 

Pensando nessa questão, explicaremos o que realmente é o tráfego aéreo e como ele funciona. Confira!

#1 – O que é tráfego aéreo?

Imagine o trânsito de uma capital brasileira: quase sempre caótico, não é mesmo?! Repleto de carros, motos, ônibus, caminhões… contudo, há uma série de normas a serem seguidas, como por exemplo os rodízios de placas em São Paulo, sinalização, etc., a fim de manter tudo em ordem.

Basicamente, isso é o tráfego aéreo: a circulação de diversas aeronaves. Ainda que não tenha nem como existir as mesmas regras de um trânsito comum, algumas medidas precisam ser tomadas, para evitar acidentes.

#2 – Como funciona o controle de tráfego aéreo?

Como alguns viajantes já conhecem, há uma espécie de controle por torres nos aeroportos. As aeronaves precisam ser devidamente separadas quando voarem em rotas. Em outras palavras, controlar o tráfego aéreo é indispensável para garantir segurança a todos os envolvidos.

Para esse objetivo, há o gerenciamento do fluxo de tráfego aéreo que, em suma, trata da fiscalização dos aviões, antes mesmo de saírem dos aeroportos. Desse modo, cada aeronave controlada precisa enviar o seu plano de voo para os devidos repositórios centrais.

Plano de voo

Plano de voo é um documento que agrega informações sobre o planejamento feito pelo próprio piloto. Envolve dois pontos cruciais: a concordância desse plano com o controle de tráfego aéreo – que reduz a possibilidade de colisões –, e o cálculo do consumo de combustível. Além disso, há outras informações como quantidade de passageiros, tempo de viagem, etc.

#3 – Principais problemas de tráfego aéreo

Dentre os principais problemas de tráfego aéreo, está a crescente demanda de passageiros e voos, e isso é um ciclo: quanto mais pessoas procuram, maior a concorrência entre as companhias aéreas, o que acarreta na queda de preços e aumenta ainda mais a procura…

Sabemos, isso parece confuso. Mas, para atender a toda essa demanda, há uma grande equipe por trás para cuidar de tudo: rota, velocidade, condições meteorológicas, altitude, cartografia e afins.

Entretanto, apesar de todo o controle e cuidado no tráfego aéreo, essa alta demanda pode sair do controle, o que gera os tão indesejados cancelamentos ou atrasos de voos. Só que é importante frisar que as companhias aéreas não podem diretamente evitar esse descontrole de tráfego. O que ela pode mesmo é seguir as recomendações dos controladores responsáveis e, claro, prestar a devida assistência aos passageiros em relação aos imprevistos.

Afinal, os passageiros não têm culpa dos problemas ocorridos e não podem de forma alguma serem prejudicados. Então, se a companhia aérea não oferecer a assistência necessária em casos de cancelamentos ou atrasos de voos, os passageiros podem e devem procurar seus direitos.

Para isso, basta acionar a Quick: voo cancelou ou gerou mais de 4h de atraso na chegada ao destino final? É só nos enviar o caso e, se aprovado, garantir R$ 1.000,00 em 02 dias.

Totalmente rápido, prático e sem burocracias.

Postado em: junho 3, 2020

Deserto do Atacama

Deserto do Atacama: 6 pontos para o seu roteiro de viagem!

Para quem é fã de aventuras e não perde uma oportunidade, o Deserto do Atacama é uma ótima pedida. Localizado na região norte do Chile, se estende até a fronteira com o Peru. Só para ilustrar, o lugar possui 1.000 km de extensão e é considerado o deserto mais alto do mundo.

7 destinos divertidos para viajar com crianças no Brasil
Roteiro de Viagem: confira 08 dicas para se preparar!
Viagem para a Disney: confira 05 dicas essenciais para a trip!

Se você deseja conhecer o Deserto do Atacama, é importante montar um roteiro de viagem para que possa aproveitar o máximo que puder. Mas claro, tudo dependerá da quantidade de dias.

A fim de te ajudar nessa tarefa, trouxemos algumas informações essenciais e indicações para você colocar na sua lista. Confira!

#1 – Deserto do Atacama: como chegar

Deserto do Atacama - como chegar
Deserto do Atacama – como chegar

Precisamos começar com dois pontos. O primeiro é a antecedência na compra das passagens – quanto mais cedo você comprar, maior será a economia. O segundo ponto é que, ainda que o Chile seja um país consideravelmente próximo do Brasil, para desembarcar na região de San Pedro – Atacama, é necessário voo com escalas. Geralmente, essa escala é feita no Aeroporto de Santiago para Calama (CJC). Logo após, os turistas que desejam visitar o Deserto de Atacama podem contar com um transfer que sai do aeroporto.

Em suma, o que recomendamos para a chegada ao destino é que tudo seja muito bem pesquisado e planejado, incluindo, se possível, a reserva do transfer.

#2 – Onde me hospedar no Deserto do Atacama?

Ainda falando sobre antecedência e planejamento, se você faz parte do time que coloca tudo no lápis e procura ao máximo economizar em viagens, é necessário saber que, de um modo geral, as acomodações no Deserto do Atacama não são muito baratas.

Por isso, se você chegar lá “na cara e na coragem”, pode desembolsar uma grana que não estava nos planos.

Então, o que recomendamos é que você pesquise em sites comparadores de preços de itens para viagens, como o Booking, que traz uma clara relação de hospedagens, com as mais diversas avaliações e preços. Reservando fora de temporada, é possível que você encontre ótimos valores.

#3 – Qual é a melhor época para visitar o Deserto do Atacama?

Melhor época para visitar o deserto do Atacama
Melhor época para visitar o deserto do Atacama

Na verdade, tudo vai depender da dinâmica da sua viagem, objetivos e claro, preferências. Portanto, abaixo, basicamente resumimos como o Deserto do Atacama fica em cada época do ano.

  • Verão – ocorre entre dezembro, janeiro, fevereiro e março. Na lógica, o pico de um deserto é o calor. Contudo, é necessário se atentar às chuvas de verão, pois, ainda que elas não costumem cancelar um tour, o acúmulo de lama e poças podem dificultar a circulação. Além disso, esse período é de alta temporada. Isso significa que as passagens e hospedagens estarão mais caras que o normal.
  • Outono e Primavera – ocorrem entre abril, maio, setembro, outubro e novembro. Nesse período, a incidência de chuva é quase nula. Ademais, as temperaturas estão mais amenas, mas dependendo do lugar escolhido para passeio, como o Geyser del Tatio, por exemplo, prepare-se para temperaturas negativas.
  • Inverno – por outro lado, o frio e a neve podem realmente atrapalhar os planos dos turistas, pois a amplitude térmica é um dos maiores desafios.

#4 – Como devo me virar no dia a dia?

Anote aí algumas dicas superimportantes:

  • Na sua viagem, procure levar dinheiro em espécie, mais especificamente, os pesos chilenos – moeda local, pois alguns lugares de visitação exigem um pagamento na entrada, ainda que simbólico, que normalmente é revertido para as comunidades locais;
  • Nos primeiros dias, evite passeios com altitude muito elevada. Procure os mais tranquilos, com baixa altitude, uma vez que alguns sintomas comuns podem aparecer e atrapalhar os planos, como dores de cabeça. Aliás, é bom andar com comprimidos na bolsa ou mochila.

#5 – O que não pode faltar na mala de viagem?

Aproveitando o gancho de dicas de ouro, confira o que você NÃO pode deixar de carregar na sua mala:

  • Leggins;
  • Botas de trilhas;
  • Calça e blusa segunda pele;
  • Casacos quentes;
  • Protetor labial e facial;
  • Luvas e toucas;
  • Muito hidratante!

#6 – Sugestões de passeios e visitas

Deserto do Atacama - Sugestões de visitas
Deserto do Atacama – Sugestões de visitas

Agora, vamos à parte mais interessante da trip: “afinal, por onde começar? Qual lugar eu não posso deixar de visitar?”. Também anote aí nossas indicações:

  • Lagunas Escondidas Baltinache;
  • Mirante Valle de la Muerte;
  • Cordilleras de la Sal;
  • Valle do Arco-íris;
  • Lagunas Cejar;
  • Ojos de Salar;
  • Petroglifos de Hierbas;
  • Laguna Tebenquiche;
  • Salar de Tara;
  • Lagunas Altiplânicas;
  • Mirador de Ckari;
  • Povoado de Machuca e Toconao;
  • Salar de Atacama.

Em suma, essas são apenas alguns dos lugares incríveis que constituem o Deserto do Atacama. Sem dúvidas, vale muito a pena pesquisar sobre cada um desses lugares e colocar na sua lista do celular ou no papel!

Entretanto, frisamos que você confira as atrações gratuitas ou pagas, a fim de realizar um planejamento financeiro de viagem eficiente, evitando imprevistos!

 

E falando em imprevistos, a certeza que você pode ter é que não precisará se estressar com possíveis complicações aéreas, pois em casos de cancelamentos ou atrasos de voos, você pode contar com a gente.

Obs.: Inclusive, se passou por isso nos últimos 5 anos, não perca tempo e solicite sua compensação financeira!

Postado em: maio 26, 2020

gramado

Gramado, RS: veja 5 dicas para visitar a Serra Gaúcha!

Gramado, sem dúvidas, está entre os principais destinos de turistas do Brasil. A cidade localizada no estado do Rio Grande do Sul é marcada por excelentes restaurantes e hotéis. Além disso, é muito difícil você visitar uma vez e em uma próxima, tudo estar exatamente igual, pois há sempre novidades por lá.

Leia também:

Continente Europeu: para quais países viajar? Confira 05 indicações!
Trem na Europa: como funciona? Confira tudo o que você precisa saber!
Roteiro de viagem: confira 08 dicas para se preparar!  

Nesse sentido, já adiantamos que é muito difícil aproveitar todas as atrações da cidade em poucos dias. Recomendamos pelo menos 1 semana, viu?!

A fim de te mostrar pontos imperdíveis e dar umas dicas para a sua trip, a Quick Brasil preparou esse post. Confira!

Gramado: a cidade perfeita para turismo

Gramado - a cidade perfeita para turismo
Gramado – a cidade perfeita para turismo

Podemos afirmar que além de ser uma das cidades brasileiras mais visitadas, Gramado também está entre os destinos que estão mais preparados para receber turistas. Além das inúmeras opções de passeio, como museus, fábricas de chocolate, jardins e parques, também é possível se deparar com grandes eventos anuais, como o Festival de Cinema de Gramado e o Natal Luz de Gramado, por exemplo.

#1 – Qual é o melhor período para visitar Gramado?

Na verdade, tudo dependerá dos seus objetivos e expectativas para a trip. Viagem romântica com aquele clima europeu? Aproveite a temporada de inverno. Inclusive, nessa época do ano ocorre o tradicional evento “Estação Gramado”, que conta com espetáculos, entrevistas com jornalistas influentes, oficinas gastronômicas gratuitas, etc.

Mas, caso contrário, as outras estações do ano também não prejudicarão seu passeio.

Uma boa dica é dar uma conferida no calendário de eventos da cidade. Geralmente, a programação prevista para o ano já foi previamente publicada, e você saberá a data exata de shows, peças de teatro, workshops ou experiências gastronômicas.

#2 – Hospedagens em Gramado

Hospedagens em Gramado
Hospedagens em Gramado

A demanda de hospedagem em Gramado é bem alta. Por isso, recomendamos que você planeje sua viagem com antecedência e conte com comparadores de acomodações, como o Booking, por exemplo: que mostra as avaliações dos usuários que passaram por cada hotel ou pousada, a classificação geral em estrelas e claro, as diferenças entre preços, baseados na sua procura: data de entrada, de saída e quantidade de hóspedes. Só para ilustrar, alguns estabelecimentos oferecem a oportunidade de cancelamento gratuito de reserva até uma determinada data, e inclui café da manhã no pacote.

#3 – Como se deslocar na cidade

Gramado - como se deslocar na cidade
Gramado – como se deslocar na cidade

O deslocamento entre pontos turísticos da cidade ou atrações não é um problema, pois tudo está consideravelmente próximo. Além disso, a cidade é plana, então você não precisará se preocupar com grandes morros ou ladeiras.

Desse modo, dependendo do seu roteiro de atrações, você pode ir a pé ou contar com aplicativos de corridas rápidas como o Uber, alugar um carro (de preferência, com antecedência), ou ir de Bus Tour (para isso, é necessário garantir ingresso pela Gramado Pass ou diretamente no local de embarque).

#4 – Gramado Pass: o facilitador financeiro das atrações!

Basicamente, o Gramado Pass é um tipo de passe turístico que garante economia na aquisição dos ingressos, quando comparada aos preços que são encontrados ‘em cima da hora’.

Sendo assim, ao adquirir o Gramado Pass, você utiliza apenas um voucher para diversas atrações.

#5 – Atrações para você inserir no seu roteiro de viagem!

Roteiro de Viagem - Snowland
Roteiro de Viagem – Snowland

Nós sempre falamos aqui no blog sobre o quanto roteiros de viagem facilitam a vida. Para aproveitar ao máximo de uma cidade – ainda mais quando você não a conhece -, uma ótima dica é anotar os principais pontos turísticos de interesse.

E, para te ajudar a montar essa lista, nós colocamos aqui algumas atrações superinteressantes de Gramado. Veja abaixo:

  • Parque do Lago Negro;
  • Snowland;
  • Rua Torta (Rua Emílio Sorgetz);
  • Vinha Gramado;
  • Praça das Etnias;
  • Igreja de São Pedro;
  • Fonte do Amor Eterno;
  • Toro Gramado;
  • Mundo do Chocolate;
  • Ice Bar Boreal;
  • Super Carros;
  • Castelinho Caracol;
  • Vale dos Dinossauros.

Ufa! Acredita que a lista não acabou? Essas são apenas algumas das inúmeras atrações que a cidade oferece. Vale muito a pena pesquisar mais sobre esses lugares e conhecê-los!

E aí, anotou as dicas para viajar para Gramado? Para continuar recebendo dicas de viagem com qualidade, é só continuar acompanhando o nosso blog.

Além disso, para ir até lá, você sabe que não precisa se preocupar com possíveis imprevistos aéreos, como cancelamentos ou atrasos de voos, não é mesmo?! Basta acionar a Quick.

Postado em: maio 16, 2020

Fernando de Noronha

Fernando de Noronha: 5 dicas para conhecer o paraíso brasileiro!

Fernando de Noronha está entre os destinos nacionais mais populares, principalmente pela considerável concentração de artistas que adotaram o local como favorito para relaxar e curtir em família ou amigos.

É um arquipélago vulcânico em Pernambuco, situado a cerca de 350 km ao largo da costa nordeste do Brasil e a 500 km de sua capital, Recife. Carrega consigo o nome de uma de suas maiores ilhas, e conta com um parque marinho, além de um Santuário Ecológico protegido.

Leia também:

Viagem para a Disney: confira 05 dicas essenciais para a trip!
Roteiro de Viagem: confira 08 dicas para se preparar!
Viagem para Paris: confira algumas informações sobre a capital!  

Definitivamente, as características da ilha despertam a curiosidade de quem nunca visitou, além da vontade de repetir em quem já foi.

Por isso, a fim de tirar algumas dúvidas a respeito do local e sobre a viagem em si, a Quick Brasil preparou esse post. Confira!

#1 – Fernando de Noronha: taxa de permanência na ilha

Reforçamos que Fernando de Noronha é uma área de proteção ambiental e, nesse sentido, é necessário realizar o pagamento de uma taxa. Sim, ainda que isso pareça estranho – e é por isso que não é difícil de ouvir por aí que é um dos destinos mais caros do Brasil. Ou seja, é preciso se preparar financeiramente para visitar a ilha!

A taxa de preservação ambiental é paga por dia de permanência na ilha. De acordo com informações do Portal G1, essa taxa teve um reajuste de 3,27% em relação ao Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) do último ano.

Ou seja, a partir de 1º de janeiro de 2020, de R$ 73,52, a taxa passou a custar R$ 75,92. Estes tributos podem ser pagos pela internet ou no próprio aeroporto de Fernando de Noronha.

Ainda segundo informações do G1, em 2018, a ilha recebeu 103.548 visitantes e arrecadou cerca de R$ 35.363 milhões!

#2 – Compra de ingressos para determinadas áreas

Fernando de Noronha - Parque Nacional Marinho
Fernando de Noronha – Parque Nacional Marinho

Ainda falando sobre custos, é importante saber que para visitar algumas áreas do Parque Nacional Marinho Fernando de Noronha (PARNAMAR), é preciso comprar um ingresso que tem duração de 10 dias. Atualmente, o valor é de R$ 111,00 para brasileiros, e R$ 222,00 para estrangeiros, conforme determina a Portaria ICMBio nº 547/2019.

Estes ingressos estão disponíveis na internet e em alguns pontos da ilha.

A visita contempla lugares superinteressantes, como as praias do Sancho e Sueste, além de dar acesso às trilhas do Atalaia e Capim-Açu.

#3 – Pousadas em Fernando de Noronha

Pousadas em Fernando de Noronha
Pousadas em Fernando de Noronha

A ilha conta com uma grande variedade de hospedagens. Só para ilustrar, adiantamos que basicamente há três tipos de pousadas na ilha:

  • Familiares – pequenas, simples, mas muito bem cuidadas pelos próprios moradores da ilha;
  • Hospedagens de nível intermediário – geralmente, um pouco maiores e localizadas perto de ‘minicentros’;
  • Pousadas luxuosas – com uma estrutura mais complexa, e que exige um maior poder aquisitivo.

Entretanto, ainda que você opte por uma pousada familiar a fim de gastar menos, é imprescindível que você realize as reservas com antecedência, pois nada por lá é superbarato, principalmente quando nos referimos à alta temporada.

#4 – Restaurantes na ilha

Restaurantes em Fernando de Noronha
Restaurantes em Fernando de Noronha

Um item essencial é a alimentação, claro. Salvo que os restaurantes também não costumam ser uma pechincha, mesmo para os nativos que não procuram nada muito ‘chique’.

Por outro lado, os peixes e outros frutos do mar são encontrados ‘a rodo’ e estão praticamente sempre frescos. Há muitos estabelecimentos de excelente qualidade, mas hoje destacamos três muito bons:

  • Varanda;
  • Mergulhão;
  • Pousada do Vale.

#5 – Faça um roteiro de viagem

Para desfrutar sua ida à Fernando de Noronha ao máximo, recomendamos que você elabore um roteiro de viagem com todos os lugares e atrações que deseja visitar. Dessa forma, ainda que você mude uma rota ou outra e descubra novos lugares, vai voltar para sua cidade com a sensação de que realizou tudo e mais um pouco! Confira abaixo algumas das nossas indicações:

  • Praia do Meio, da Conceição e do Porto;
  • Baía dos Golfinhos;
  • Baía dos Porcos;
  • Ilhatour;
  • Vila dos Remédios;
  • Passeios de barco;

Vale super a pena pesquisar sobre cada um desses itens para inserir no seu roteiro.

Anotou todas as dicas? Então já pesquise sobre as passagens, reservas e #noronhe-se!

E para continuar desfrutando de conteúdos de viagem de qualidade, fique ligado(a) aqui no blog da Quick!

Postado em: maio 11, 2020

Melhores destinos nacionais

Melhores destinos nacionais: veja 5 maravilhas litorâneas brasileiras!

Ainda que os destinos internacionais sejam o sonho da maioria dos brasileiros, nós sabemos que as maravilhas nacionais não deixam a desejar! Há uma lista bem grande de destinos incríveis a serem visitados e aproveitados ao máximo. Vale muito a pena colocar no seu ‘to do list’ pelo menos alguns dos melhores destinos nacionais.

Leia também:

Overbooking: é possível pedir indenização?
20 pontos turísticos e dicas de viagem para Aparecida em SP
Roteiro de viagem: confira 08 dicas para se preparar!   

E, a fim de te ajudar nessa tarefa, a Quick Brasil trouxe essas maravilhas brasileiras. Confira!

#1 – Jericoacoara, CE

Melhores destinos nacionais - Jericoacoara CE
Melhores destinos nacionais – Jericoacoara CE

Localizada no Ceará e mais especificamente a 305 km de Fortaleza, Jericoacoara é uma ilha de pescadores maravilhosa, que preserva sua essência rústica e seus cenários paradisíacos. Nos últimos anos, o destino ficou superpopular, devido à ida de celebridades – assim como a marcante Fernando de Noronha.

Um fato interessante é que diversos gringos aterrissaram em Jeri e ficaram por ali mesmo! Por isso, é bem comum se deparar com sotaques misturados: de português com belga, francês, italiano, entre outros.

Agora, falando sobre os passeios, é praticamente impossível visitar Jericoacoara sem aproveitar o pôr do sol nas Dunas, rolês de buggy, ou apreciar as variedades gastronômicas. Recomendamos que você faça aquele roteiro de viagem para aproveitar ao máximo a cidade cearense!

#2 – São Miguel dos Milagres, AL

Melhores destinos nacionais - São Miguel dos Milagres, AL
Melhores destinos nacionais – São Miguel dos Milagres, AL

O litoral alagoano está entre os mais lindos do Brasil! Sabe aquela sensação de ‘cidade aconchegante e tranquila’? São Miguel dos Milagres com certeza passa esse sentimento, pois conta com praias lindíssimas e pouco frequentadas, além de suas pousadas dignas de um ótimo descanso pós almoço.

É um dos povoados mais antigos de Alagoas, colonizado durante a invasão de holandeses. Está localizado a cerca de 106 km de Maceió.

Quando tiver a oportunidade de ir, não deixe de aproveitar os passeios de jangada, que vão até às famosas piscinas naturais; realizar mergulhos de snorkel e conhecer o Santuário do peixe-boi marinho – organizado pela Associação Peixe-boi.

#3 – Lençóis Maranhenses, MA

Lençóis Maranhenses, MA
Lençóis Maranhenses, MA

Marcados pela areia fininha e branca, além de suas lagoas de água doce com tons esverdeados e azuis, os Lençóis Maranhenses são bem conhecidos por turistas de todos os cantos do Brasil – e por gringos também, viu?! Definitivamente, é um cenário único.

Estão localizados no noroeste maranhense, mais especificamente a 250 km de sua capital, São Luís.

Contudo, se você deseja visitar os Lençóis, deverá ficar bem atento(a) ao período, pois a alta temporada é logo após as chuvas, entre abril e agosto. Por outro lado, o período mais seco – entre outubro e dezembro –, praticamente todas as lagoas desaparecem, e o cenário se torna um enorme deserto. Mas, claro, suas paisagens continuam impecáveis!

Quando visitar, desfrute dos passeios de buggy pelas dunas!

#4 – Florianópolis, SC

Lagoinha do Leste - Florianópolis, SC
Lagoinha do Leste – Florianópolis, SC

Impossível falar dos litorais brasileiros sem mencionar Floripa, não é mesmo?! Nesse post, falaremos especificamente sobre a Lagoinha do Leste, pois é considerada a queridinha dos nativos.

Localizada no sul da Ilha catarinense, a Lagoinha do Leste conta com dunas, morros, areia branquinha e fina – semelhante às areias dos Lençóis Maranhenses –, lagoas próximas às águas salgadas do oceano, e o ponto que chama mais atenção: tudo isso no meio da preservação da mata atlântica.

Contudo, ao escolher este destino, é importante se atentar às recomendações de portais locais, como o Destino Florianópolis, que indica os cuidados com o mar – em relação à sua agitação e temperatura.

#5 – Ilhabela, SP

Ilhabela, SP
Ilhabela, SP

Nossa lista é reduzida quando comparada às centenas de destinos incríveis. Contudo, não poderíamos deixar passar batido o litoral paulista!

Ilhabela está entre os únicos municípios arquipélagos-marinhos do Brasil. Está localizado no litoral norte paulista, mais especificamente na microrregião de São Sebastião e a 213 km da capital.

De acordo com dados do Portal Viagem e Turismo, as praias de Ilhabela contam com pelo menos 400 mil turistas no verão, e possui 83% de área preservada, com muitas cachoeiras e trilhas. Vale muito a pena visitar e se aventurar!

 

E aí, já conheceu ou ficou com vontade de conhecer alguns dos melhores destinos nacionais? Ainda que esse não seja o melhor momento para viajar, você já pode começar a planejar.

Além disso, já sabe que com a Quick, você não precisa temer os possíveis cancelamentos ou atrasos de voos: afinal, é só nos chamar!

 

Postado em: maio 6, 2020