6 estratégias para viajar com milhas de forma inteligente

Muitos consumidores ainda pensam que para acumular pontos e viajar com milhas nos dias de hoje é preciso investir grande quantidade delas em uma única passagem aérea.

Pois saiba que existem estratégias para que as suas suadas milhas não sejam desperdiçadas e você só precisa de um roteiro em mente para que sempre se lembre dessas dicas nos momentos de emitir as passagens aéreas e fazer a transferência dos pontos.

Para descomplicar tudo aquilo que você já ouviu sobre milhas, a QuickBrasil organizou esse post com as 6 principais estratégias para que as suas milhas rendam muitas e muitas viagens. Queremos mostrar que não há mistérios para acumular pontos, sendo necessário somente organização e atenção.

Se você não leu antes o nosso post introdutório sobre formas de acumular muito mais milhas (4 passos efetivos para acumular pontos e viajar com milhas), acesse aqui para ler e entender melhor as dicas abaixo.

Digite as seguintes informações sobre seu voo para descobrir de forma rápida e fácil se ele se qualifica para fazer uma reivindicação e obter alívio financeiro imediato.

 

Recapitulando:

Já devidamente:

– Cadastrado em um (ou dois) dos programas de milhagem (Multiplus, Smiles, TudoAzul, Amigo) e até mesmo em seu respectivo Clube de Vantagens;

– Comprando e usando serviços dos parceiros correspondentes;

– Cadastrado em outros programas de fidelidade ou Clubes de Vantagens vinculados ao programa de milhagem de seu interesse e consumindo daqueles parceiros;

– Quitando ao máximo suas despesas com um cartão de crédito que ofereça pontuação para conversão em milhas,

e por isso com uma fortuna em milhas nas mãos, você está apto a colocar em prática as 6 estratégias para valorizar cada milha em sua conta.

 

1ª ESTRATÉGIA: transfira seus pontos com responsabilidade

Ao pontuar nos programas de fidelidade que são vinculados ao programa de milhagem de sua preferência, seus pontos permanecem naquele programa, sendo necessário que você os transfira para que possa finalmente viajar com milhas.

Geralmente, o consumidor faz essa transferência:

quando quer e precisa usar seus pontos para emitir alguma passagem aérea, respeitando o valor mínimo de pontos acumulados exigidos pelos Clubes de Vantagem para poder transferir;

quando seus pontos estão próximos de expirar no programa de fidelidade para que se evite a perda deles, que terão a validade renovada dentro do programa de milhagem escolhido;

estrategicamente, durante períodos de promoções de transferência de pontos, para ganhar 30, 50 e até 100% mais milhas.

A validade dos pontos acumulados costuma variar de programa para programa, sendo necessário consultar as regras daquele em que você está cadastrado, mas sendo um padrão o vencimento em 2 anos. Assim, os pontos acumulados em agosto de 2016 poderão estar para vencer em agosto de 2018, e assim mês a mês.

Caso você não tenha utilizado estes pontos e não queira perdê-los, é necessário que os transfira para o seu programa de milhagem. Lá eles receberão uma nova data de vencimento (a data da transferência), passando a valer por mais alguns anos.

Mas não é necessário que se espere aproximar a data de validade dos pontos para fazer a transferência. Os programas de milhagem costumam fazer promoções em datas específicas para que o viajante receba de 30 a 100% mais milhas que a quantidade que irá transferir. Por isso, fique atento a essas promoções, especialmente aquela que irá ocorrer no mês do seu aniversário.

Lembrando que os assinantes dos Clubes de Vantagens (aqueles que pagam mensalidades em troca de pontos ou milhas) recebem promoções com condições ainda mais vantajosas.

 

2ª ESTRATÉGIA: ao consumir produtos e serviços, receba pontos duplos

Essa estratégia é simples e efetiva: além de comprar produtos das empresas parceiras de seu programa de fidelidade, garantindo a pontuação no programa por escolher aquele estabelecimento (físico ou online), não se esqueça de escolher o cartão de crédito como opção de pagamento, dessa forma pontuando duplamente.

 

3ª ESTRATÉGIA: faça os cálculos ao escolher comprar milhas

Há casos em que você está quase completando o valor necessário para viajar com milhas, porém não há tempo para acumulá-las pelos programas de fidelidade. Neste caso, as suas opções são pagar integralmente pelas passagens ou completar o restante do saldo comprando as milhas.

Lembre-se de conferir se o valor a ser pago por estas milhas não está alto demais. Normalmente, o valor pago pelo consumidor por cada milha é de R$0,07. Se ao dividir o valor cobrado pela quantidade de milhas o resultado for maior que 0,07, prefira pagar pelo bilhete, acumulando novos pontos para usar em oportunidade melhor.

 

4ª ESTRATÉGIA: emita passagens aéreas com antecedência para economizar milhas

Seguindo a mesma linha da compra de passagens aéreas de última hora, ao viajar com milhas não é diferente: assume-se o risco de gastar muitas milhas e de não haver mais disponibilidade no voo. Por isso, é indicado que se emita as passagens com uma antecedência razoável.

O tempo indicado para emitir as passagens é com antecedência de 40 a 25 dias para voos nacionais e 60 a 30 dias antes para voos internacionais. Em alta temporada (férias escolares, datas festivas e feriados nacionais), considere o dobro desse prazo.

Mas fique atento à possibilidade de haver promoções pelo caminho. Não se prenda a estes prazos se encontrar alguma promoção para a emissão das passagens. Adiante ensinaremos a avaliar se uma promoção é realmente vantajosa.

 

5ª ESTRATÉGIA: simule conexões separadas para voos não encontrados, milhas insuficientes ou para opções desvantajosas

Você deseja ir de uma cidade para outra, mas não encontrou passagens com o percurso desejado. Nesta situação, considere voar primeiro para um destino e depois desta localidade para o destino pretendido. Além de alcançar o seu objetivo, saiba que as milhas são acumuladas por trecho percorrido. Por isso, é conveniente que se compre passagens aéreas com voos de conexão até mesmo em rotas encontradas, acumulando mais milhas do que na compra de passagens para voos diretos.

Esse mesmo método pode ser usado caso você só possua milhas para percorrer um dos trechos, precisando pagar em moeda pelo outro trecho.

Caso você encontre um voo entre as cidades de partida e de desembarque e perceba que custará caro em milhas, veja se comprar voos de conexão separados é uma opção mais em conta. Por isso, é importante consultar o histórico do valor em milhas do trecho que se pretende voar, percebendo se o valor ofertado no momento de sua compra é justo ou não.

 

6ª ESTRATÉGIA: saiba quando não vale a pena viajar com milhas

Mais uma vez, faça os cálculos. Seja em ofertas promocionais ou não, sempre compare o valor de resgate da passagem com milhas e seu valor em dinheiro. Pode ser mais vantajoso pagar pelo bilhete e acumular mais milhas que gastá-las em uma oferta ruim.

Como saber se vale ou não a pena?

Pesquise qual o preço mais barato a ser pago para as datas e destino escolhido;

Veja no programa de fidelidade o valor de resgate para se viajar com milhas;

Divida o valor em reais encontrado pela quantidade de pontos necessários. Se o resultado for igual ou maior que 0,03, prefira pagar suas passagens em dinheiro; se for menor que 0,03, você estará fazendo um bom negócio.

Esse número (0,03) é aplicado em razão do valor de mercado da milha aérea. Para comprar milhas aéreas, o valor pago por cada milha é geralmente de R$0,07, como já dizemos antes. Mas em Clubes de Vantagens, nos quais se paga uma assinatura e recebe uma quantidade de milhas, a média do valor pago pelo consumidor por cada milha é de R$0,034.

Por isso, ao pretender vender suas milhas para empresas que as negociam (como funcionam as casas de câmbio para as moedas), é difícil encontrar empresas que aceitem pagar mais que R$0,03 por elas e isso justificar esse valor.

Mas é claro que independente dos cálculos, o fator mais importante de todos a ser considerado é: você quer ou precisa viajar e não tem o dinheiro para as passagens, mas tem as milhas? Gaste as milhas com alguma consciência e seja feliz.

 

Novo ALERTA:

No primeiro post da série sobre viajar com milhas, a QuickBrasil alertou o passageiro sobre o mito de que as passagens aéreas emitidas por milhas dariam mais problemas na reserva, ou com voo cancelado ou atrasado e demais transtornos neste sentido.

Mas se estes problemas vierem a acontecer, exija o cumprimento de seus direitos antes que danos maiores lhe sejam causados. Para isso, conheça-os aqui.