Início » Institucional » Infraero apresenta números de movimentos operacionais, atrasos e cancelamentos de voo

Infraero apresenta números de movimentos operacionais, atrasos e cancelamentos de voo

Infraero apresenta números de movimentos operacionais, atrasos e cancelamentos de voo
Infraero Aeroportos

A Infraero é uma empresa pública nacional, ativa desde 31 de maio de 1973, e que está entre as três maiores operadoras aeroportuárias do mundo. Além dos 59 aeroportos que opera no Brasil, a Infraero é sócia – com 49% de participação – dos aeroportos de Brasília, no Distrito Federal, Guarulhos e Viracopos, em São Paulo, Confins, em Minas Gerais e Galeão, no Rio de Janeiro.

A empresa destaca que se responsabiliza pelo transporte de mais de 100 milhões de passageiros ao ano, representando cerca de 60% do movimento aéreo no país. Ainda, em seu site oficial, disponibiliza, por meio de relatórios e tabelas preenchidas em tempo real, os números relativos aos movimentos operacionais, aos atrasos e cancelamentos de voo ocorridos nos aeroportos que opera.

Com o objetivo de ajudar o consumidor a compreender o atual cenário da aviação nacional, a QuickBrasil apresenta, abaixo, a coleta de dados estatísticos referentes aos movimentos operacionais, atrasos e cancelamentos de voos ora mencionados.

 

Anuário Estatístico Operacional: os índices do ano de 2016

A Infraero disponibiliza aos consumidores e pesquisadores Anuários Estatísticos Operacionais oficiais. O intuito do Anuário Estatístico Operacional é a constituição de um acervo de dados estatísticos para possibilitar ao usuário o acesso às informações dos movimentos operacionais de todos os aeroportos administrados pela Infraero a cada ano.

Sobre a metodologia de pesquisa, o próprio Anuário Estatístico Operacional de 2016 define que “Os dados apresentados são obtidos através de formulários próprios preenchidos pelas Companhias Aéreas, os chamados RPE (Relatório de Passageiros Embarcados) e enviados, por meio eletrônico ou não, a cada aeroporto da rede Infraero. Em seguida, esses dados são tratados e armazenados em um banco único na Sede.”

Para melhor compreensão dos dados demonstrados, deverão ser esclarecidas algumas nomenclaturas. O Transporte Regular é o voo realizado com a existência de HOTRAN – Hora de Transporte, assim definido pelo órgão regulador; já o Transporte Não Regular é o voo comercial realizado por qualquer aeronave sem a existência de HOTRAN.

De acordo com o último documento publicado, os dados de movimento operacional de toda a Rede Infraero de 2016, quando comparados aos de 2015, apresentaram queda de 12,86% em relação ao movimento das aeronaves e queda de 6,69% quanto ao movimento de passageiros.

Se você já passou por alguma situação de voo cancelado ou atrasado, merece ser compensado. Contate-nos Aqui

Movimento anual de aeronaves

Nesta tabela, constam os resultados dos movimentos anuais de aeronaves de acordo com os últimos cinco Anuários Estatísticos Operacionais:

Infraero apresenta números de movimentos operacionais, atrasos e cancelamentos de voo
Movimento Anual de Aeronaves dos anos de 2012 a 2016

Em 2016, o total das decolagens somadas aos pousos ocorridos nos aeroportos operados pela Infraero foi de 1.584.428. Deste valor, foram mais de 891 mil decolagens e pousos regulares domésticos e 14.937 internacionais. Quanto àqueles não regulares, os números da movimentação anual de aeronaves apresentam mais de 221 mil voos domésticos e 3.237 voos internacionais.

 

Movimento anual de passageiros

Na tabela abaixo, é possível observar a movimentação anual de passageiros nos aeroportos operados pela Infraero:

Fonte: Infraero
Movimento Anual de Passageiros dos anos de 2012 a 2016

No que tange ao total de embarques e desembarques, o valor final da movimentação anual de passageiros é de 104.793.776. Quase 99 milhões (exatos 98.934.812) de embarques e desembarques são relativos aos voos domésticos e regulares e cerca de 1,6 milhões são voos regulares internacionais. Em relação aos voos não regulares, são mais de 3,1 milhões domésticos e 123.605 internacionais.

 

O relatório oficial de junho de 2017

Conforme o último relatório de movimentos operacionais apresentado pela Infraero, referente ao mês de junho de 2017, observa-se:

Superintendência de Desenvolvimento Aeroportuário - DODS
Movimento de Aeronaves da REDE INFRAERO em Junho de 2017

De acordo com referida tabela, percebe-se que até o fim de junho de 2017, 378.131 voos decolaram e 378.284 voos pousaram nos aeroportos operados pela Infraero. Somente naquele mês, o número de decolagens é de 62.953 e o de pousos, 62.951.

Em relação à classificação dos voos em domésticos e internacionais, observando-se os dados do transporte regular, foram 68.327 pousos e decolagens de voos domésticos no mês de junho, totalizando 431.691 pousos e decolagens no ano. Já quanto os voos internacionais, os números de junho são 1.203 pousos e decolagens, atingindo a marca dos 7.670 voos anuais.

 

Atrasos e cancelamentos em tempo real: dados referentes ao mês de julho de 2017 (Infraero)

A QuickBrasil acompanhou e registrou, por meio de uma amostragem aleatória, a movimentação aeroportuária diária, os atrasos e cancelamentos apresentados em tempo real pela Infraero no mês de julho. Foram colhidos dados referentes aos voos domésticos e internacionais, separados por empresa aérea, após às 23h de cada dia, visto que este é o último horário em que se pode observar o relatório diário, com o total dos voos operados.

Na página “Situação dos voos”, do site oficial da Infraero, a empresa fornece relatório atualizado a cada hora sobre atrasos e cancelamentos registrados nas operações programadas nos aeroportos da Rede Infraero e dos concedidos de Brasília (DF) e Rio de Janeiro/Galeão (RJ). Registra-se que os dados relativos ao aeroporto de Campinas (SP), Guarulhos (SP), Belo Horizonte/Tancredo Neves (MG) e São Gonçalo do Amarante (RN) devem ser consultados junto às suas respectivas operadoras.

Para uma melhor compreensão dos números apresentados, define-se que o total de voos programados, atrasados e cancelados está compreendido entre o período de 00:00h às 23:00h da data em questão. Já os voos classificados como atrasados no momento são compreendidos entre às 22h e 23h daquele dia observado.

Por estas tabelas, é possível comparar os dados número de voos, de atrasos e de cancelamentos ocorridos:

Infraero apresenta números de movimentos operacionais, atrasos e cancelamentos de voo
11 de julho de 2017: dos 1544 voos operados nesta data, 101 sofreram atrasos e 59 foram cancelados

 

Fonte: Infraero
15 de julho de 2017: dos 1238 voos operados neste dia, 70 sofreram atrasos e 35 foram cancelados

 

Fonte: Infraero
21 de julho de 2017: dos 1616 voos operados nesta data, 200 sofreram atrasos e 46 foram cancelados

 

27 de julho de 2017: dos 1541 voos operados neste dia, 105 sofreram atrasos e 38 foram cancelados

Contudo, percebe-se, por óbvio, em virtude dos altos índices de embarques e desembarques, pousos e decolagens aqui demonstrados, que a Rede Infraero movimenta grande número de passageiros e aeronaves. Considerando a movimentação operacional aqui descrita, uma vez relacionada aos dados colhidos sobre atrasos e cancelamentos de voo, é possível visualizar a grande possibilidade de dano à qual os passageiros estão expostos.

Neste sentido, somente em 4 dias observados no mês de julho, foram computados 476 atrasos e 178 cancelamentos em voos nacionais. Em relação aos dias 11, 15, 21 e 27 daquele mês, a média dos atrasos de voo foi de 7,85% e a média dos cancelamentos foi de 2,98%. Tendo em mente o total de voos analisados e se tratando de sérios danos acarretados à esfera privada de cada passageiro, referidas porcentagens causam verdadeiro desapontamento ao consumidor. Este, ao necessitar utilizar serviço de transporte aéreo, fica à mercê de serviços prestados abaixo dos níveis recomendados de qualidade então oferecidos pelas empresas aéreas.

Estas estatísticas aqui demonstradas, quando aplicadas ao total de voos operados pela Infraero, atingem o real potencial de uma atividade aeroportuária gerar dano ao passageiro. Os dados deixam claro o grande número de atividades ocorridas em determinados espaços de tempo. Em cada decolagem ou pouso há a possibilidade de ocorrer um grave dano ao consumidor, seja em face de atraso ou cancelamento de voo ocorridos por intenso tráfego aéreo, manutenção na malha aérea, condições climáticas adversas, manutenção de aeronave, greve geral de funcionários entre outros motivos, em razão de antecipação do horário de voo, overbooking, ou danos às bagagens e extravio das mesmas.

Inclusive, em cada situação mencionada acima, caberá à empresa aérea o dever de indenizar. A transportadora responde pelos prejuízos causados ao consumidor em face do exercício de sua atividade que objetiva o lucro, consolidando-se, assim, a aplicação da Teoria do Risco da Atividade, nos termos previstos pelo nosso ordenamento jurídico.

Por fim, nada se mostra mais importante que um consumidor bem informado sobre seus direitos e possibilidades de ocorrência de dano relacionados ao serviço que contrata e utiliza.

Para mais informações sobre a Infraero e sobre os dados estatísticos disponibilizados neste conteúdo acesse: Fonte – Infraero.

Postado em: agosto 5, 2017

Achou útil? Compartilhe com outras pessoas