Início » Dados estatísticos

Tag: Dados estatísticos

Este mapa mostra a extensão das viagens aéreas globais (um estudo sobre o tráfego aéreo)

Em 2017, a Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO) documentou um recorde de 4,1 bilhões de pessoas esperando na fila para fazer o check in, passar pelo raio-x e embarcar a bordo de um avião. Nos anos 50 eram apenas alguns milhões de passageiros que conformaram o tráfego aéreo.

Estamos voando com mais frequência do que nunca e fazendo mais viagens de longa distância. Com os voos de carga também adicionados ao mix, é fácil ver por que há uma crescente preocupação com o impacto do setor de aviação no meio ambiente.

No radar do tráfego aéreo

O aplicativo de aviação FlightRadar24 rastreia o fluxo de tráfego aéreo em todo o mundo. Com pequenos pontinhos amarelos, o serviço mostra todas as rotas de voo em tempo real.

tráfego aéreo mundial
Image: FlightRadar24

Em março de 2018, a empresa registrou o dia mais movimentado de viagens aéreas desde seu lançamento em 2007, registrando no total 202.157 voos em um único dia, sendo voos comerciais, de carga e pessoais. Isso equivale a 140 aviões decolando a cada minuto em algum lugar do mundo.

De acordo com o FlightRadar24, os dias da semana tendem a ser mais movimentados do que os finais de semana e sexta-feira é o dia que geralmente registra mais tráfego.

Um tweet da empresa informou também que o dia mais movimentado do ano geralmente ocorre na última semana de agosto, época em que pessoas dos Estados Unidos e Europa aproveitam a última oportunidade de sair de férias antes do início do seu ano novo letivo, que começa em setembro.

Um negócio muito alto

O boom nas viagens aéreas anda de mãos dadas com o crescimento da globalização e aumento dos meios de comunicação e turismo em massa.

Em apenas um clique, produtos podem ser comprados do outro lado do mundo e entregues em uma semana, ou até mesmo em um dia ou dois. À medida que as economias globais se tornam mais conectadas, a carga aérea vai aumentando – os números da ICAO mostraram que o tráfego de entregas e frete cresceu 9,5% em 2017.

Um estudo sobre o impacto ambiental da indústria do turismo coletou dados de 160 países para estimar a emissão de carbono deste setor e as descobertas indicam que nosso hábito de viajar de férias podem estar causando mais danos ao planeta do que o previamente estimado.

Entre 2009 e 2013, a emissão de carbono gerados pelas indústrias saltou de 3,9 para 4,5 gigatoneladas de dióxido de carbono por ano. Este valor representa cerca de 8% do total das emissões globais de gases do efeito estufa e é quatro vezes superior às estimativas anteriores que giravam em torno de 2%-3%. O estudo leva em conta o impacto direto de voos de férias, transportes terrestres e hotéis, mas vai além, incluindo emissões de outros setores e atividades ligados ao turismo, como o de compras, comer fora e locomoção.

Os pesquisadores concluíram que a demanda global por turismo supera os esforços das indústrias para tornar-se verde e eco-friendly, o que significa que, a menos que mudemos drasticamente nossos hábitos, as emissões de gases provenientes de voos tendem a continuar aumentando.

Tradução livre.

Texto originalmente publicado por Johnny Wood, no site World Economic Forum. Acesse aqui o artigo original.

Se o intenso tráfego aéreo tiver lhe causado problemas com voo cancelado, atraso de voo ou outros problemas com voo característicos do grande movimento nos céus, conheça aqui os seus direitos e exija-os antes que seja tarde. Cadastre seu caso aqui

Adicionalmente, compartilhamos algumas informações adicionais oferecidas para nós pelo site FlightRadarWeb:

Viagem aerea em fatos infografico

 

 

Postado em: agosto 21, 2018

Azul melhor empresa aérea brasileira, Gol não tão ruim assim

Recentemente foi divulgado o resultado do “Oscar da Aviação” de 2018, que é um ranking com as melhores companhias aéreas do mundo, o World Airline Awards, da instituição Skytrax. Nela se consideram varios fatores, como a taxa de pontualidade e os números de voos cancelados, por companhias como a Azul ou a Gol.

Chama a atenção o fato de as companhias aéreas do Brasil não ocuparem posições muito altas nesses resultados, geralmente figurando na parte do meio do ranking. Isso indica que elas não chegam a ser empresas ruins, mas que, por outro lado, também não se destacam positivamente (quando comparadas com o resto do globo).

Esse ano não foi diferente. A Avianca (cuja matriz é da Colômbia) ficou no 51o lugar do ranking global, a Azul em 53o, e a Latam em 63o. A Avianca foi eleita a melhor companhia da América Latina, e a Azul a melhor do Brasil.

Curiosamente, a companhia aérea Gol não aparece no ranking das 100 melhores.

Em outras publicações, FlightStats e OAG, a Azul também foi agraciada com o prêmio de empresa aérea mais pontual de nosso País, e a companhia “Low-Cost”, ou seja, de baixo custo (?!), mais pontual das Américas.

Analisamos os dados oficiais da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) no período de 01/07/2017 até 01/03/2018, e pudemos confirmar que a Azul, de fato, foi a aérea com menos atrasos. O quadro abaixo traz o resultado de nossa pesquisa:

A diferença é expressiva para as outras companhias aéreas: a Azul apresenta números consistentemente melhores que as demais empresas em todos os critérios utilizados para a mensuração da pontualidade das aéreas, quais sejam: a) atraso inferior a 15 minutos, b) atraso entre 15 minutos e 1 hora e c) atraso superior a 1 hora.

Há uma exceção: a Azul se saiu exatamente igual à Gol nos atrasos superiores a 1 hora. Ou seja, as duas, no período que analisamos, tiveram somente 1,7% de seus voos atrasados mais de uma hora. A Latam teve 2,6% de voos nessa situação e a AVIANCA, 3,8% (mais que o dobro de Azul e Gol).

Em nossa opinião, é exatamente esse último critério de mensuração de atraso de voos o que mais importa para o passageiro, pois atrasos inferiores a 1 hora são, naturalmente, muito menos propensos a causar problemas – como perdas de conexão, por exemplo.

A conclusão que chegamos é que as informações divulgadas pela própria Azul sobre sua pontualidade são verdadeiras – pelo menos se analisados somente esses números.

Por outro lado, a Gol não figura no pior lugar dos atrasos em nenhum dos critérios analisados. É a segunda pior no critério menos relevante – atrasos de até 15 minutos –, que ocorre em 77,6% de seus voos, contra 80,8% da Latam, e a segunda pior também nos atrasos entre 15 minutos e 1 hora, com 13,8%, contra 14,8% da Avianca. Como visto, no principal critério analisado, a Gol está empatada em primeiro lugar com a Azul com menos atrasos.

Isso nos faz questionar a razão pela qual a Gol sequer figura no ranking das 100 melhores companhias aéreas do mundo: ora, seja por nossa experiência pessoal no papel de passageiros, seja analisando esses números, não enxergamos nenhum abismo entre os serviços prestados pela Gol e as demais companhias no Brasil. Aliás, como mostram os números, a Gol pode até mesmo ser considerada uma das melhores em pontualidade…

Aqui cabe uma consideração importante: nenhuma dessas publicações mencionou o resultado da quantidade de voos cancelados pelas empresas brasileiras, o que chamou a nossa atenção. Aproveitamos para rever esses números disponibilizados pela ANAC e o resultando não foi o esperado, veja o quadro abaixo:

voos cancelados azul

A Azul, contrariamente ao que supúnhamos, desponta disparado na frente como a companhia aérea com mais voos cancelados no País: 22,1% dos voos, no período que analisamos, jamais decolaram! O número é mais de três vezes superior ao do segundo colocado, a Gol, que teve 7% de seus voos cancelados, e mais de cinco vezes e meia superior aos da empresa melhor qualificada, a Latam, com meros 3,9% dos voos cancelados no período.

Uma análise mais aprofundada do setor do transporte aéreo de passageiros no Brasil certamente encontrará explicações razoáveis, em matéria de voos cancelados, para essa diferença grande dos resultados da Azul para as demais companhias. Basta lembrar que a Azul é a empresa que atende ao maior número de aeroportos no País, na casa da centena (próximo do dobro da segunda colocada, a Gol. Esta, não por acaso, ocupa o segundo lugar também na quantidade de voos cancelados, com 7,0%) e a que, portanto, enfrenta uma infraestrutura aeroportuária mais precária. A lógica é simples: em condições climáticas não favoráveis, aeroportos com menos auxílio à navegação acabam dificultando, ou mesmo impedindo, aeronaves de operar.

Seja como for, esses dados servem de alerta para os consumidores. Embora seja verdade que a Azul é a empresa que menos atrasa os seus voos, por outro lado é importante informar que a Azul é também, de longe, a empresa com a maior quantidade de voos cancelados. Um em cada cinco de seus voos sequer sai do chão.

Outro alerta se refere à Gol que, embora não apareça no ranking das 100 melhores do mundo, quando comparada com as demais empresas no Brasil apresenta números bastante razoáveis, não sendo a melhor em quase nada, mas também não sendo a pior.

Para problemas com voo cancelado ou atrasado, não deixe de exigir os seus direitos. Para conhecê-los, recomendamos a leitura desta postagem.

Postado em: agosto 2, 2018

Panorama dos atrasos e cancelamentos de voo nos aeroportos do Brasil: Os números de 2017

A QuickBrasil quer que o viajante da atualidade esteja preparado para tomar as melhores decisões para que sua viagem ocorra sem nenhum problema. Por isso, em mais uma publicação trazendo números reais, apresentamos o panorama sobre os atrasos e cancelamentos de voo referentes ao ano de 2017 nos aeroportos do Brasil. O consumidor é convidado a conhecer a realidade por trás das ofertas das empresas aéreas no momento da compra das passagens.

Nesta segunda publicação (veja aqui a primeira) sobre os números registrados pela ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil – relacionados aos voos operados no Brasil, a QuickBrasil destaca a atuação dos aeroportos, não mais das empresas aéreas. Dessa maneira, serão apresentados dados sobre 21 aeroportos selecionados para este estudo, incluindo pelo menos um aeroporto de cada região do país .

Assim, abaixo estão classificados os aeroportos brasileiros de acordo com a pontualidade, considerando os voos pontuais (ou com poucos minutos de atraso), atrasados por mais de 30 minutos, atrasados por mais de 60 minutos e cancelados:

Gráfico: Os melhores aeroportos de embarque conforme a pontualidade, Panorama atrasos cancelamentos aeroportos
Gráfico: Os melhores aeroportos de embarque conforme a pontualidade

Destaca-se que a ANAC entende por voo atrasado por mais de 60 minutos não somente aquele voo que se atrasa até o limite de duas horas. Ou seja, nesta categoria estão incluídos todos os voos com atraso superior a uma hora, sem limite de tempo para este atraso.

Os números não mentem: o aeroporto que menos possui voos cancelados conta com cerca de 6% de cancelamentos. Já o aeroporto que possui maior número de voos cancelados, conta com um valor por volta dos 27% dos voos nesta situação. No mesmo sentido proposto na primeira publicação, sobre empresas aéreas, imagine quantos são os viajantes lesados a cada aeronave que deixa de decolar a tempo ou que não decola de forma definitiva, considerando 50 assentos para as aeronaves menores e 200 assentos para as maiores.

O que é mais importante destacar ao viajante é que algumas cidades brasileiras contam com mais de um aeroporto para embarque e desembarque de passageiros. Quando se é possível escolher entre um ou outro aeroporto de saída ou de destino, a exemplo de viagens com partida ou chegada ao Rio de Janeiro ou de São Paulo, referida escolha pode influenciar nas chances de um passageiro vivenciar situações de atrasos ou cancelamento de voo com consequentes prejuízos. Imagine que um passageiro não possa se atrasar para um compromisso por este ser inadiável. Este passageiro precisará optar por um aeroporto que apresente menos riscos de cancelamentos, atrasos e até overbooking. Nestas situações, é necessário que o consumidor tenha conhecimento dos números de atrasos e cancelamentos de voo registrados por cada aeroporto para que possa tomar uma decisão mais acertada. Essa é a intenção final da QuickBrasil em apresentar esse Panorama de atrasos e cancelamentos de voos nos aeroportos.

Logo, a título de exemplo, percebe-se que, em São Paulo, o Aeroporto Internacional de Campinas/Viracopos é o que mais registra atrasos e cancelamentos de voo. Em sentido contrário, ocorrem menos cancelamentos e atrasos no Aeroporto de São Paulo/Congonhas. Escolher em partir ou desembarcar em um ou outro aeroporto pode contribuir para diminuir os riscos já mencionados.

Ainda, o consumidor deve ficar atento ao horário de funcionamento dos aeroportos, tendo em vista que nem todos os aeroportos permitem a decolagem e o pouso dos aviões por 24h. Destaca-se que, em razão do desconhecimento desta importante informação, uma vez que o voo seja cancelado ou sofra grande atraso, muitos passageiros que são desamparados pelas empresas aéreas acabam por ficar desamparados na cidade de partida, quando estão fora de seu domicílio. Apesar de a companhia possuir o dever de respeitar os direitos do passageiro e de lhe prestar as devidas assistências materiais, é justamente porque estas empresas falham neste dever a QuickBrasil vem alertar os passageiros sobre as medidas que os ajudam a evitar este tipo de situação. Além do mais, sobre este tema, considerando o funcionamento do aeroporto por 24h, há relatos de passageiros, sejam adultos, adolescentes ou mesmo crianças, que chegaram a pernoitar nos aeroportos em busca da assistência à qual possuíam direito.

Mais uma vez, ao conhecer os novos números aqui publicados (panorama de atrasos e cancelamentos de voo nos aeroportos do Brasil), o viajante se torna melhor preparado para evitar a ocorrência de alguns obstáculos em sua viagem, como todos estes já mostrados aqui. Independente do preparo do passageiro, a QuickBrasil insiste que, ao ser lesado, a atitude do consumidor em mostrar à companhia aérea a sua insatisfação com o serviço de transporte hoje colocado à sua disposição e que não suportará os prejuízos causados por esta má prestação de serviço é o que realmente fará a diferença na maneira de as empresas aéreas atuarem no mercado. Como consumidor, jamais deixe de reivindicar seus direitos e a devida indenização pelos prejuízos sofridos. Busque um meio legítimo e mude a realidade do viajante brasileiro para melhor.

Veja aqui os dados publicados sobre a atuação das empresas aéreas no país.

Caso precise mais informações sobre o panorama de atrasos e cancelamentos de voos nos aeroportos do pais, não duvide em se cadastrar no newsletter do nosso blog.

Postado em: dezembro 19, 2017

Números dos atrasos e cancelamentos de voo no Brasil: Panorama 2017

A QuickBrasil, buscando levar ao consumidor as melhores informações sobre a atuação das empresas aéreas no mercado brasileiro, preparou algumas publicações trazendo números reais sobre os atrasos e cancelamentos de voo referentes ao ano de 2017.

Neste primeiro momento, serão apresentados os números dos atrasos e cancelamentos relativos aos voos realizados no país e às empresas aéreas que mais atuam neste mercado. É necessário dizer que estes dados foram coletados e publicados pela ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil – em seu site, o que possibilitou que a QuickBrasil organizasse o panorama 2017 sobre os números de atrasos e cancelamentos dos voos registrados por esta empresa reguladora.

Dando início ao estudo, abaixo estão os números de voos pontuais (ou com poucos minutos de atraso) que partiram do Brasil, atrasados por mais de 30 minutos, atrasados por mais de 60 minutos e cancelados das 10 empresas aéreas que possuem maior atuação no Brasil:

 

Empresa AéreaA tempoAtraso
+30 min.
Atraso
+60 min.
Cancelado% Cancelamento
Azul59.734123.8237.72639.86317,25%
GOL166.31321.0467.59314.3926,87%
LATAM148.41025.46510.09112.2636,25%
Avianca44.63723.5664.0913.5894,73%
Passaredo9.8641.7701.0321.66611,62%
Copa Airlines12.425115290600,47%
American Airlines8.1713851.0521982,02%
Aerolíneas Argentinas8.896931403103,28%
TAP Portugal4.9102881724107,09%
United Airlines3.511130311812,01%
TOTAL466.871196.68132.49872.8329,47%
Tabela 1: Números de atrasos e cancelamentos de voo no Brasil 2017 por categoria.

 

Destaca-se que a ANAC entende por voo atrasado por mais de 60 minutos não somente aquele voo que se atrasa até o limite de duas horas. Ou seja, nesta categoria estão incluídos todos os voos com atraso superior a uma hora, sem limite de tempo para este atraso.

De outra forma, conforme os gráficos a seguir, é possível visualizar melhor estes números apresentados:

Gráfico: Desempenho dos voos nacionais – Classificação por empresa aérea - Quickbrasil.org, Números atrasos cancelamentos
Gráfico: Desempenho dos voos nacionais – Classificação por empresa aérea

 

Cancelamentos de voos nacionais Classificação por empresa aérea - Quickbrasil.org
Gráfico: Cancelamentos de voos nacionais – Classificação por empresa aérea

 

Desempenho dos voos internacionais Classificação por empresa aérea - Quickbrasil.org
Gráfico: Desempenho dos voos internacionais – Classificação por empresa aérea

 

Cancelamentos de voos internacionais Classificação por empresa aérea - Quickbrasil.org Números atrasos cancelamentos
Gráfico: Cancelamentos de voos internacionais – Classificação por empresa aérea

 

Agora, além de conhecer os números de cada empresa aérea em 2017, imagine que as aeronaves que realizariam os voos cancelados possuam capacidades de acomodação diferentes. Em média, os aviões que realizam tanto voos nacionais quanto internacionais podem ter de 50 (quando menores) a 200 assentos (quando maiores). Observando o número de cancelamentos da empresa aérea que mais cancela voos, se todos aqueles voos fossem operados por aeronaves menores, com 50 assentos, seriam, ao todo 1.993.150 passageiros lesados. Caso fossem aeronaves maiores, com 200 assentos, o número de passageiros lesados poderia chegar a 7.972.600. Considerando o melhor cenário, com os números mais baixos, pode-se afirmar que é provável que aquela empresa aérea que cancelou 39.863 voos tenha lesado, no mínimo, cerca de 2 milhões de passageiros em 2017, e isto somente quanto aos cancelamentos de voo.

Seguindo este mesmo raciocínio, em relação à empresa que menos cancela voos – com 60 voos cancelados, o número de passageiros lesados poderia variar entre 3 e 12 mil neste ano. Também considerando o menor valor, a QuickBrasil chama atenção para o fato de que uma empresa aérea não deve considerar bom ou sequer suficiente o serviço de transporte prestado que causa prejuízos a 3 mil consumidores ao ano. Novamente, destaca-se que este número se refere somente aos cancelamentos de voo. Todas estas companhias deverão, portanto, reavaliar sua conduta e consequentemente melhorar o serviço ofertado ao consumidor.

Os dados sobre a atuação das empresas aéreas podem ser organizados também de forma que fique estabelecido um panorama de todos os voos, não mais separados por empresas aéreas:

Gráfico: Raio X dos voos no Brasil baseado nos números de atrasos e cancelamentos da ANAC - Quickbrasil.org Números atrasos cancelamentos
Gráfico: Raio X dos voos no Brasil

Mais uma vez, considerando o número total de voos realizados até o momento deste estudo (768.882 voos), percebe-se que cerca de 72.832 voos (9%) foram cancelados e cerca de 32.498 voos (4%) sofreram atrasos superiores a uma hora em 2017. O total de voos pontuais ou que apresentaram pequenos atrasos ultrapassa por pouco os 60% dos voos colocados em operação no país. Assim, tem-se que o setor de transporte aéreo não deve comemorar o fato de que pouco mais da metade dos voos realizados cumprem o horário contratado com o consumidor.

Por fim, após observar as informações aqui demonstradas, o viajante se torna capaz de escolher melhor a empresa aérea que contratará já conhecendo o risco apresentado por cada uma delas, seja em relação aos atrasos ou aos cancelamentos, bem como conhecerá também as chances daquele voo chegar pontualmente ao destino desejado. Neste momento de escolha, o consumidor não pode esquecer que os números dos atrasos e cancelamentos de voos variam de acordo com a maior ou menor atuação daquela companhia aérea no mercado, considerando a quantidade de aeronaves, de voos, destinos entre outros elementos.

Por último, é preciso destacar que o passageiro que suportou os danos causados por um atraso ou cancelamento de voo deve sempre exigir o respeito aos seus direitos e a consequente indenização pelos prejuízos sofridos. Para tanto, é necessário que o viajante procure um meio legítimo de reivindicar estes direitos e esta compensação. O serviço oferecido pela QuickBrasil oferece uma solução rápida e sem burocracia para resolver esse tipo de problemas. O que realmente fará a diferença na maneira de as empresas aéreas atuarem no mercado é a atitude do consumidor ao mostrar à companhia a sua insatisfação com o serviço de transporte hoje colocado à sua disposição e que não suportará os prejuízos causados por esta má prestação de serviço. Dessa forma, não restará outra alternativa para aquelas empresas senão melhorar o transporte aéreo e finalmente entregar ao viajante toda a qualidade prometida no momento da contratação do serviço.

Veja aqui os dados publicados sobre a movimentação nos aeroportos do Brasil.

Se você já passou por alguma situação de atraso ou cancelamento de voo, você merece ser compensado. Contate-nos!

Postado em: dezembro 18, 2017

Infraero apresenta números de movimentos operacionais, atrasos e cancelamentos de voo

Infraero apresenta números de movimentos operacionais, atrasos e cancelamentos de voo
Infraero Aeroportos

A Infraero é uma empresa pública nacional, ativa desde 31 de maio de 1973, e que está entre as três maiores operadoras aeroportuárias do mundo. Além dos 59 aeroportos que opera no Brasil, a Infraero é sócia – com 49% de participação – dos aeroportos de Brasília, no Distrito Federal, Guarulhos e Viracopos, em São Paulo, Confins, em Minas Gerais e Galeão, no Rio de Janeiro.

A empresa destaca que se responsabiliza pelo transporte de mais de 100 milhões de passageiros ao ano, representando cerca de 60% do movimento aéreo no país. Ainda, em seu site oficial, disponibiliza, por meio de relatórios e tabelas preenchidas em tempo real, os números relativos aos movimentos operacionais, aos atrasos e cancelamentos de voo ocorridos nos aeroportos que opera.

Com o objetivo de ajudar o consumidor a compreender o atual cenário da aviação nacional, a QuickBrasil apresenta, abaixo, a coleta de dados estatísticos referentes aos movimentos operacionais, atrasos e cancelamentos de voos ora mencionados.

 

Anuário Estatístico Operacional: os índices do ano de 2016

A Infraero disponibiliza aos consumidores e pesquisadores Anuários Estatísticos Operacionais oficiais. O intuito do Anuário Estatístico Operacional é a constituição de um acervo de dados estatísticos para possibilitar ao usuário o acesso às informações dos movimentos operacionais de todos os aeroportos administrados pela Infraero a cada ano.

Sobre a metodologia de pesquisa, o próprio Anuário Estatístico Operacional de 2016 define que “Os dados apresentados são obtidos através de formulários próprios preenchidos pelas Companhias Aéreas, os chamados RPE (Relatório de Passageiros Embarcados) e enviados, por meio eletrônico ou não, a cada aeroporto da rede Infraero. Em seguida, esses dados são tratados e armazenados em um banco único na Sede.”

Para melhor compreensão dos dados demonstrados, deverão ser esclarecidas algumas nomenclaturas. O Transporte Regular é o voo realizado com a existência de HOTRAN – Hora de Transporte, assim definido pelo órgão regulador; já o Transporte Não Regular é o voo comercial realizado por qualquer aeronave sem a existência de HOTRAN.

De acordo com o último documento publicado, os dados de movimento operacional de toda a Rede Infraero de 2016, quando comparados aos de 2015, apresentaram queda de 12,86% em relação ao movimento das aeronaves e queda de 6,69% quanto ao movimento de passageiros.

Se você já passou por alguma situação de voo cancelado ou atrasado, merece ser compensado. Contate-nos Aqui

Movimento anual de aeronaves

Nesta tabela, constam os resultados dos movimentos anuais de aeronaves de acordo com os últimos cinco Anuários Estatísticos Operacionais:

Infraero apresenta números de movimentos operacionais, atrasos e cancelamentos de voo
Movimento Anual de Aeronaves dos anos de 2012 a 2016

Em 2016, o total das decolagens somadas aos pousos ocorridos nos aeroportos operados pela Infraero foi de 1.584.428. Deste valor, foram mais de 891 mil decolagens e pousos regulares domésticos e 14.937 internacionais. Quanto àqueles não regulares, os números da movimentação anual de aeronaves apresentam mais de 221 mil voos domésticos e 3.237 voos internacionais.

 

Movimento anual de passageiros

Na tabela abaixo, é possível observar a movimentação anual de passageiros nos aeroportos operados pela Infraero:

Fonte: Infraero
Movimento Anual de Passageiros dos anos de 2012 a 2016

No que tange ao total de embarques e desembarques, o valor final da movimentação anual de passageiros é de 104.793.776. Quase 99 milhões (exatos 98.934.812) de embarques e desembarques são relativos aos voos domésticos e regulares e cerca de 1,6 milhões são voos regulares internacionais. Em relação aos voos não regulares, são mais de 3,1 milhões domésticos e 123.605 internacionais.

 

O relatório oficial de junho de 2017

Conforme o último relatório de movimentos operacionais apresentado pela Infraero, referente ao mês de junho de 2017, observa-se:

Superintendência de Desenvolvimento Aeroportuário - DODS
Movimento de Aeronaves da REDE INFRAERO em Junho de 2017

De acordo com referida tabela, percebe-se que até o fim de junho de 2017, 378.131 voos decolaram e 378.284 voos pousaram nos aeroportos operados pela Infraero. Somente naquele mês, o número de decolagens é de 62.953 e o de pousos, 62.951.

Em relação à classificação dos voos em domésticos e internacionais, observando-se os dados do transporte regular, foram 68.327 pousos e decolagens de voos domésticos no mês de junho, totalizando 431.691 pousos e decolagens no ano. Já quanto os voos internacionais, os números de junho são 1.203 pousos e decolagens, atingindo a marca dos 7.670 voos anuais.

 

Atrasos e cancelamentos em tempo real: dados referentes ao mês de julho de 2017 (Infraero)

A QuickBrasil acompanhou e registrou, por meio de uma amostragem aleatória, a movimentação aeroportuária diária, os atrasos e cancelamentos apresentados em tempo real pela Infraero no mês de julho. Foram colhidos dados referentes aos voos domésticos e internacionais, separados por empresa aérea, após às 23h de cada dia, visto que este é o último horário em que se pode observar o relatório diário, com o total dos voos operados.

Na página “Situação dos voos”, do site oficial da Infraero, a empresa fornece relatório atualizado a cada hora sobre atrasos e cancelamentos registrados nas operações programadas nos aeroportos da Rede Infraero e dos concedidos de Brasília (DF) e Rio de Janeiro/Galeão (RJ). Registra-se que os dados relativos ao aeroporto de Campinas (SP), Guarulhos (SP), Belo Horizonte/Tancredo Neves (MG) e São Gonçalo do Amarante (RN) devem ser consultados junto às suas respectivas operadoras.

Para uma melhor compreensão dos números apresentados, define-se que o total de voos programados, atrasados e cancelados está compreendido entre o período de 00:00h às 23:00h da data em questão. Já os voos classificados como atrasados no momento são compreendidos entre às 22h e 23h daquele dia observado.

Por estas tabelas, é possível comparar os dados número de voos, de atrasos e de cancelamentos ocorridos:

Infraero apresenta números de movimentos operacionais, atrasos e cancelamentos de voo
11 de julho de 2017: dos 1544 voos operados nesta data, 101 sofreram atrasos e 59 foram cancelados

 

Fonte: Infraero
15 de julho de 2017: dos 1238 voos operados neste dia, 70 sofreram atrasos e 35 foram cancelados

 

Fonte: Infraero
21 de julho de 2017: dos 1616 voos operados nesta data, 200 sofreram atrasos e 46 foram cancelados

 

27 de julho de 2017: dos 1541 voos operados neste dia, 105 sofreram atrasos e 38 foram cancelados

Contudo, percebe-se, por óbvio, em virtude dos altos índices de embarques e desembarques, pousos e decolagens aqui demonstrados, que a Rede Infraero movimenta grande número de passageiros e aeronaves. Considerando a movimentação operacional aqui descrita, uma vez relacionada aos dados colhidos sobre atrasos e cancelamentos de voo, é possível visualizar a grande possibilidade de dano à qual os passageiros estão expostos.

Neste sentido, somente em 4 dias observados no mês de julho, foram computados 476 atrasos e 178 cancelamentos em voos nacionais. Em relação aos dias 11, 15, 21 e 27 daquele mês, a média dos atrasos de voo foi de 7,85% e a média dos cancelamentos foi de 2,98%. Tendo em mente o total de voos analisados e se tratando de sérios danos acarretados à esfera privada de cada passageiro, referidas porcentagens causam verdadeiro desapontamento ao consumidor. Este, ao necessitar utilizar serviço de transporte aéreo, fica à mercê de serviços prestados abaixo dos níveis recomendados de qualidade então oferecidos pelas empresas aéreas.

Estas estatísticas aqui demonstradas, quando aplicadas ao total de voos operados pela Infraero, atingem o real potencial de uma atividade aeroportuária gerar dano ao passageiro. Os dados deixam claro o grande número de atividades ocorridas em determinados espaços de tempo. Em cada decolagem ou pouso há a possibilidade de ocorrer um grave dano ao consumidor, seja em face de atraso ou cancelamento de voo ocorridos por intenso tráfego aéreo, manutenção na malha aérea, condições climáticas adversas, manutenção de aeronave, greve geral de funcionários entre outros motivos, em razão de antecipação do horário de voo, overbooking, ou danos às bagagens e extravio das mesmas.

Inclusive, em cada situação mencionada acima, caberá à empresa aérea o dever de indenizar. A transportadora responde pelos prejuízos causados ao consumidor em face do exercício de sua atividade que objetiva o lucro, consolidando-se, assim, a aplicação da Teoria do Risco da Atividade, nos termos previstos pelo nosso ordenamento jurídico.

Por fim, nada se mostra mais importante que um consumidor bem informado sobre seus direitos e possibilidades de ocorrência de dano relacionados ao serviço que contrata e utiliza.

Para mais informações sobre a Infraero e sobre os dados estatísticos disponibilizados neste conteúdo acesse: Fonte – Infraero.

Postado em: agosto 5, 2017