Início » Dicas de viagem

Tag: Dicas de viagem

Jalapão

Jalapão: 11 dicas importantes para conhecer o paraíso no Tocantins!

O Jalapão é um dos destinos favoritos da galera que curte ecoturismo e/ou aquele contato próximo com a natureza! Marcado por cachoeiras com águas cristalinas, fervedouros e paisagens de tirar o fôlego, está localizado no cerrado brasileiro, mais especificamente no estado do Tocantins.

Leia também:

Fortaleza: 5 dicas para planejar sua viagem!
Maceió: 7 dicas para visitar o paraíso tropical!
Viajar barato: confira 7 dicas para economizar na trip!

 

Essa região envolve alguns municípios e diversas áreas de preservação. A principal – e mais famosa – é o Parque Estadual do Jalapão.

Todavia, é necessário ficar por dentro de muitos detalhes importantes antes de conhecer o local.

É por isso que o blog da Quick Brasil elaborou esse post. Anote tudo para fazer o seu planejamento de viagem!

 

Jalapão #1 – Quais são os detalhes sobre a região?

Como mencionamos no início deste post, o Jalapão está localizado no Tocantins – na área do extremo leste, que faz divisa com Piauí, Bahia e Maranhão.

Além disso, os municípios envolvidos pela região são: Mateiros, Novo Acordo, São Félix e Ponte Alta. Dessas cidades, Mateiros é a “cidade base” para os turistas que visitam o Jalapão – e fica a 300 km de Palmas, capital do estado.

 

Jalapão #2 – Como chegar ao local?

Dunas do Jalapão
Dunas do Jalapão. Imagem: Portal Folha – Uol

Primeiramente, é importante frisar que não há aeroportos por perto. Ou seja, boa parte do deslocamento é terrestre. O trajeto mais recomendado para as pessoas que chegarão de outros estados é pegar um avião até Palmas e de lá, continuar de carro.

De acordo com informações do Portal Melhores Destinos, a partir de palmas, a principal via de acesso é a TO-030 até Santa Tereza do Tocantins e em seguida, a TO-130 até a Ponte Alta. Já para quem vai até Mateiros, segue pela TO-255.

Só para ilustrar, o trajeto entre Palmas e Ponte Alta é asfaltado, mas depois começam os trechos de areia e terra. Sendo assim, o uso de um carro 4×4 é indispensável. Entenda melhor a seguir!

 

Jalapão #3 – Por que é necessário se deslocar com um veículo 4×4?

Jalapão - veículo 4x4
Jalapão – Veículo 4×4. Imagem: Portal Melhores Destinos

O fato de diversos trechos serem constituídos por terra e areia fofa faz com que carros sem tração 4×4 atolem constantemente – principalmente nos períodos mais secos, quando o solo fica ainda mais fofo.

Não só o carro é necessário, como também um motorista que já conheça as “manhas” do local, pois é muito simples desperdiçar a viagem ao atolar um veículo comum ou se perder.

Se preferir dirigir, ao alugar um carro pela região, escolha os utilitários esportivos 4X4 (SUV), pois são carros confortáveis e proporcionarão todo o suporte nas estradas.

 

#4 – Qual é a melhor época para viajar?

Podemos dizer que faz calor em todas as épocas do ano no Jalapão. A temperatura fica por volta dos 30ºC, porém, se atente aos períodos chuvosos: de outubro a abril – onde dezembro, janeiro e fevereiro são os meses mais úmidos. Por outro lado, a temperatura seca se estende entre maio e setembro e a melhor época para viajar vai de maio até julho.

No final desse período de seca – agosto/setembro, o pôr do sol fica ainda mais notável e a paisagem é de tirar o fôlego, sem sombra de dúvidas. Entretanto, o ar conta com baixíssima umidade, o que provavelmente tornará os passeios desconfortáveis. Além disso, a vegetação já não estará tão mais verde assim.

Por mais propício que pareça, procure evitar os períodos de férias escolares e feriados prolongados, uma vez que o número de turistas cresce bastante e a maioria dos passeios lotam com antecedência.

 

#5 – Onde se hospedar?

As formas mais comuns de hospedagem no Jalapão são pousadas e campings.

Além dos meios que já conhecemos para a aquisição de hospedagens (reservas na internet, por exemplo), é possível contratar pacotes de turismo para o Jalapão. No Portal Korubo, os turistas fazem o chamado
“Safari Camp”,  que conta com alimentação, acomodações, deslocamentos e passeios.

Se preferir não se vincular a nenhuma empresa, a recomendação é que você procure por pousadas nas regiões de Mateiros (próxima ao Parque Estadual do Jalapão), Ponte Alta, São Félix ou Novo Acordo.

A maioria das hospedagens oferecem serviços simples, mas com excelente recepção aos visitantes.

 

#6 – O que não deve ficar de fora das suas bagagens?

Ao viajar para o Jalapão, tenha em mente que os seguintes itens não podem faltar:

  • Protetor solar;
  • Roupas de banho;
  • Repelente contra insetos;
  • Carregadores de bateria externos;
  • Lanterna;
  • Sapatilhas para trilhas e água;
  • Máscara de mergulho (para apreciar as cachoeiras e fervedouros);
  • Câmera fotográfica (e se possível, câmera subaquática para registrar os melhores momentos);
  • Toalhas;
  • Chapéus, bonés e óculos de sol;
  • Mochilas (melhor para o deslocamento, evite as malas de rodinhas);
  • Casacos e bolsas impermeáveis;
  • Itens de higiene pessoal (escova de dentes, shampoo, condicionador, sabonete), pois nem todas as pousadas possuem;
  • Medicamentos de uso pessoal.

 

#7 – Falando em itens indispensáveis… priorize o uso de roupas leves!

Reforçamos que o calor prevalece na região do Jalapão. No período de inverno, pode fazer um friozinho bem leve durante à noite, mas nada a nível de arrependimento por não ter levado casacos quentes.

Portanto, o melhor mesmo é apostar no vestuário leve, com peças de secagem rápida, para evitar que o corpo fique molhado por muito tempo após as atrações.

Em contrapartida, não tenha dó de colocar roupas de banho na mala! Elas serão usadas todos os dias. Esteja preparado(a)!

Se você apostar em trilhas – como a da Serra do Espírito Santo, por exemplo, leve calças e calçados de trilha para concluir o trajeto confortavelmente.

Senão, chinelos e/ou sapatilhas que possam entrar na água já estão de bom tamanho.

 

#8 – O que você precisa saber sobre a conexão com a internet?

Outro ponto muito importante para uma viagem ao Jalapão, é saber que o sinal de celular é baixíssimo, quase escasso mesmo – o que pode ser um problema para os “dependentes” de conexão com a internet.

Ademais, a maioria das pousadas não contam com Wi-Fi, e é bem normal passar longos períodos sem qualquer tipo de conexão. Dentre as operadoras, a com melhor sinal é a Claro, enquanto a Tim não tem sinal e Vivo aparece poucas vezes.

Deste modo, procure resolver todas as pendências que necessitem da conexão com a internet antes de realizar a viagem, e aproveite o cenário paradisíaco para se desligar de tudo e se conectar apenas com a natureza!

 

#9 – Os principais atrativos da região não exigem trilhas extensas

Para quem ama a natureza, mas não curte muito andar, uma ótima notícia: as principais atrações do Jalapão não exigem trilhas muito longas e complicadas, e os carros conseguem se aproximar bem das cachoeiras e fervedouros. Exceto a trilha da Serra do Espírito Santo, que é consideravelmente íngreme.

Todavia, a gente reforça: aposte sempre no carro 4×4!

 

#10 – Dicas de passeios

Jalapão - Cachoeira do Formiga
Jalapão – Cachoeira do Formiga. Imagem: Portal Melhores Destinos

Agora, vem a parte mais interessante! Confira a lista de lugares sensacionais que você deve conhecer ao ir para o Jalapão:

– Cachoeira do Rio Soninho Pequena;

– Cachoeira do Rio Soninho Grande;

– Cânion do Sussuapara;

– Prainha do Rio Novo;

– Fervedouro Bela Vista;

– Serra do Espírito Santo (o nascer do Sol é simplesmente incrível!);

– Fervedouro dos Buritis;

– Fervedouro do Alecrim;

– Dunas do Jalapão.

 

#11 – Quantos dias ficar?

Para poder desfrutar o máximo possível da viagem, o tempo mínimo recomendado para estadia é de 5 dias, pois assim você poderá aproveitar boa parte das atrações sem pressa.

Mas claro, quanto mais tempo puder ficar, melhor!

 

Depois desse post… partiu Jalapão, né?!

Curtiu as nossas dicas? Então compartilhe esse artigo com os seus amigos!

E para continuar por dentro do mundo das viagens, é só acompanhar o blog da Quick!

Postado em: novembro 16, 2020

Fortaleza

Fortaleza: 5 dicas para planejar sua viagem!

Definitivamente, Fortaleza é um destino incrível! Quem ainda não conheceu, provavelmente já ouviu falar sobre suas maravilhas naturais: dunas, lagoas, praias, palmeiras e afins. Quem conheceu, provavelmente falará o quanto deseja voltar!

E ao planejar a viagem, é interessante saber de alguns detalhes, a fim de aproveitar o período ao máximo.

Melhores destinos nacionais: veja 5 maravilhas litorâneas brasileiras!
Fernando de Noronha: 5 dicas para conhecer o paraíso brasileiro!
Roteiro de Viagem: confira 08 dicas para se preparar!  

Pensando nisso, o blog da Quick Brasil te dá dicas imperdíveis sobre a cidade. Confira!

#1 – Fortaleza: qual é a melhor época do ano para viajar?

Segundo informações do Portal Volto Logo, o período mais seco e quente começa logo na segunda quinzena de julho – no qual outras regiões do país ainda seguem com dias frios –, e vai até dezembro. O período é excelente para pegar dias ensolarados.

Já entre janeiro e fevereiro, os dias são chuvosos – mas não quer dizer que também não dá para aproveitar. E considerando que um dos principais atrativos de Fortaleza é o clima litorâneo, não é recomendado viajar para lá entre março e junho.

#2 – Como se locomover?

As opções mais populares são os aplicativos de corrida, transporte público, aluguel de carro ou transfers de agências. Todavia, quem decidir se hospedar próximo à praia e consequentemente aos pequenos comércios e restaurantes, terá o luxo de se deslocar em caminhadas curtas.

Dentre as opções que citamos acima, os transfers de agências são indicados para chegar às praias mais afastadas de Fortaleza. Os preços são acessíveis e ainda é possível contar com o conforto de embarcar e desembarcar na porta do hotel.

#3 – Dicas de praia

Fortaleza - Praia de Meireles
Praia de Meireles. Imagem: Camille Panzera / Portal Melhores Destinos

 

Praia de Meireles

Localizada em região urbana, é bem movimentada, principalmente por quem decide se hospedar na cidade. Mas, ainda que suas águas sejam consideravelmente tranquilas, possui alguns pontos que não são indicados para banho.

 

 

Fortaleza - Praia do Mucuripe
Praia do Mucuripe. Imagem: TripAdvisor

Praia do Mucuripe

A Praia do Mucuripe é tranquila e concentra o famoso Mercado do Peixe. Consequentemente, o local é marcado por muitos barcos de pescadores parados na costa. Se você gosta de frutos do mar fresquinhos, é uma ótima pedida!

 

 

 

Fortaleza - Praia do Futuro
Praia do Futuro. Imagem: Levarti

Praia do Futuro

A Praia do Futuro é a mais famosa da capital, e uma das mais belas também! Possui uma extensa faixa de areia e é sempre bem movimentada.

Suas águas são esverdeadas, como nos filmes. É um local muito procurado por surfistas, uma vez que conta com ondas fortes.

 

 

Praia de Iracema
Praia de Iracema. Imagem: Portal Diário do Nordeste

Praia de Iracema

A Praia de Iracema é praticamente vizinha de Meireles, e atrai muitos turistas por sua pegada urbana.

Durante a noite, o clima boêmio toma conta da região com barzinhos e restaurantes charmosos. Além disso, os visitantes podem aproveitar o Centro de Artesanatos que carregam um pouco da história de Fortaleza.

 

#4 – Onde se hospedar?

O ideal é escolher hospedagens que ficam na região das orlas, pois facilita a locomoção e o acesso aos bares, restaurantes e outros pequenos comércios.

Nesse sentido, as principais indicações são: Praia de Meireles, Praia de Iracema e Praia do Futuro.

Para uma boa pesquisa de hotéis e reservas, conte com plataformas como o Booking.com.

#5 – Quantos dias ficar na cidade?

Para aproveitar várias das maravilhas de Fortaleza, a recomendação é pegar um período entre 7 e 5 dias. Mas claro, quanto mais dias você puder ficar, melhor!

Por fim, se estiver com vontade de estender a viagem e visitar a famosa Jericoacoara, coloque pelo menos mais 3 ou 4 dias no roteiro. Ou seja, evite o “bate e volta”! Será muito exaustivo e provavelmente você aproveitará pouco.

 

Anotou as dicas de Fortaleza? Para ficar por dentro de mais conteúdos como esse, fique de olho no blog da Quick.

E já sabe: voo atrasou ou cancelou? Você pode clicar aqui e enviar o seu caso!

Postado em: outubro 29, 2020

Maceió

Maceió: 7 dicas para visitar o paraíso tropical!

Viajar para Maceió significa visitar um dos litorais mais belos do Brasil!

Conhecida como “Caribe Brasileiro”, a capital de Alagoas conta com opções de hotéis, bares, restaurantes e diversas maravilhas naturais admiradas por milhares de turistas: piscinas naturais, águas cristalinas, areias douradas e aqueles coqueiros dignos de filmes.

Se você está planejando conhecer o local, mas precisa saber alguns detalhes primeiro, esse post é para você.

Leia também:

Viajar barato: confira 7 dicas para economizar na trip!
Natal Luz Gramado: conheça o espetacular evento gaúcho
Primeira viagem de avião: entenda 4 pontos essenciais!

Como chegar? Qual é a melhor época para viajar? Quantos dias ficar?

Confira essas e outras dicas a seguir:

#1 – Maceió: como chegar?

Ao chegar de avião, o desembarque será no Aeroporto Internacional de Maceió – Zumbi dos Palmares (MCZ), localizado a pouco mais de 20km da orla.

Maceió é ligada por voos diretos a Brasília, São Paulo, Recife, Belo Horizonte, Salvador, Aracaju, Campinas, Ribeirão Preto e Rio de Janeiro. As cidades que não foram mencionadas, precisam fazer conexão com as que citamos acima (normalmente em São Paulo ou Salvador).

O terminal rodoviário, por sua vez, fica mais próximo de das praias – cerca de 7km.

#2 – Qual é a melhor época para viajar para Maceió?

Um fato é certo: o mar da capital alagoana é lindo durante todos os meses do ano! Contudo, há temporadas mais propensas para turismo. Recomenda-se viajar entre outubro e janeiro, pois o tempo é mais firme e as águas estão super clarinhas.

É possível visitar em setembro, fevereiro e março, mas é importante saber que há a possibilidade de pegar dias de chuva, o que acaba atrapalhando os passeios.

Maio e junho são os períodos mais chuvosos.

#3 – Quantos dias ficar?

É interessante que sejam reservados pelo menos 7 dias completos para aproveitar bem Maceió. Mas, ao conseguir pelo menos 4 ou 5 dias, também já vale super a pena!

#4 – Algumas indicações de praias

Maceió - Praia Ponta Verde
Maceió – Praia Ponta Verde. Imagem: Portal Viagem e Turismo

 

Ponta Verde – a praia da Ponta Verde é uma das favoritas de diversos turistas, e é lá que fica a placa “Eu Amo Maceió”! O pôr do sol é simplesmente esplêndido e os coqueiros fecham o combo de “paisagem de filme”.

 

 

 

 

Maceió - Praia de Jatiúca
Maceió – Praia de Jatiúca. Imagem: Portal Praias de Maceió

 

 

Jatiúca – fica bem próxima à Ponta Verde e, além do fácil acesso à rede hoteleira, lojas e restaurantes, conta com águas calmas.

 

 

 

 

 

Maceió - Praia Cruz das Almas
Maceió – Praia Cruz das Almas. Imagem: Portal Praias de Maceió

 

Cruz das Almas – é uma praia menos frequentada por turistas, pois possui águas turvas. Escolhida por quem tem mais experiência com o mar e gosta de pegar ondas.

 

 

 

 

Praia de Pajuçara
Praia de Pajuçara. Imagem: Portal Viagem e Turismo

 

Pajuçara – está entre as mais conhecidas da cidade. É marcada por suas piscinas naturais, exploradas por passeios de jangada que custam em média R$ 30,00. As águas são super verdes, mas é melhor se informar quanto aos horários que a maré está mais baixa, ainda que seja uma praia normalmente tranquila.

 

 

#5 – Como se locomover na cidade?

Ao viajar em família ou em grupo de amigos, alugar um carro pode ser uma boa aposta, considerando a independência na escolha dos pontos turísticos e nos horários, pois as excursões seguem um cronograma.

Agora, quem quer apenas se divertir e não se preocupar com direção, os passeios oferecidos por receptivos turísticos também podem ser boas opções. Ademais, para corridas curtas, é possível solicitar carros de aplicativo.

 

#6 – Onde se hospedar em Maceió?

Boa parte dos hotéis de Maceió está localizada nas orlas de Ponta Verde, Jatiúca e Pajuçara, e a maioria está acompanhada por ótimos bares e restaurantes – o calçadão que fica entre Pajuçara e Ponta Verde é um dos trechos mais movimentados! Perto desses locais, fica mais fácil se deslocar até a praia.

Além disso, o comércio é bem atrativo, recheado por feirinhas de artesanato, que os turistas amam.

Para quem está em busca de economia, mas sem abrir mão de um certo conforto, os hotéis recomendados são o Praia Bonita Jatiúca e Soft Inn Maceió.

Em níveis “intermediários”, o Porto Jatiúca ou o Holliday Inn são ótimos!

Já os hotéis que contam com uma estrutura mais complexa e uma vibe mais “luxuosa”, as indicações são o Best Western Premier Maceió ou o Meridiano Hotel.

 

#7 – Sobre a gastronomia

Definitivamente, os sabores da culinária nordestina são inigualáveis e Maceió é uma das cidades perfeitas para aproveitá-los.

Assim como mencionamos sobre as hospedagens, as orlas de Ponta Verde e Pajuçara contam com muitos restaurantes – inclusive, com sistemas de buffet à vontade. Os da região de Jatiúca são consideravelmente afastados entre si, então é recomendado ter o endereço certo.

Se preferir opções mais baratas, os quiosques à beira-mar também são de qualidade. Tapiocas, lanches ou porções podem variar entre R$ 10,00 e R$ 25,00.

 

E aí, pronto(a) para montar o seu roteiro de viagem para Maceió?

Para mais dicas, é só continuar de olho no blog da Quick.

E já sabe: se tiver problemas com atrasos ou cancelamentos de voo, clique aqui e nos envie o seu caso!

Postado em: outubro 15, 2020

Plataformas Self-bookings

Plataformas Self-Bookings de Viagem: o que são?

Confira o que você precisa saber!

Organizações que promovem viagens corporativas sabem a importância de uma boa gestão relacionada a essa área: estamos nos referindo às estratégias para redução de custos e um maior aproveitamento de tempo para os funcionários de modo geral.

Nesse sentido, automatizar alguns dos processos envolvidos pode ser bem eficaz. E é aí que entram as plataformas self-bookings.

Alta temporada de viagens: qual é a melhor época para viajar?
O que é Jet Lag? Entenda e confira 8 dicas para evitá-lo!
Viajar barato: confira 7 dicas para economizar na trip!

A seguir, explicaremos melhor sobre o assunto:

Plataformas self-bookings: o que são?

Basicamente, são plataformas que reúnem diversos recursos em um único lugar, não dependendo de “terceiros” para operar tranquilamente.

Especificamente falando de plataformas self-bookings de viagem, são aquelas que permitem que os próprios colaboradores façam solicitações de viagens, reservas e afins. Todavia, essas ações respeitam uma política de viagem elaborada pela empresa. Por exemplo: o valor das passagens não pode ultrapassar R$ 2.000,00.

Plataformas self-bookings: vantagens

Veja abaixo quais são as principais vantagens de usufruir as plataformas self-bookings:

#1 – Segurança nos pagamentos

Um dos principais pontos a serem bem avaliados é a segurança de informações e, claro, de pagamentos. Ao inserir um cartão de crédito, os dados ficam salvos em plataformas PCI Compliance (Payment Card Industry), com altos níveis de criptografia e segurança.

Em casos de faturas, o extrato fica disponível para checagem da organização.

#2 – Os processos são simplificados

Muitas empresas que realizam viagens corporativas trabalham ao “modo tradicional”, com departamentos especializados na gestão dessas viagens. Ou seja, que centralizam todas as ações: desde a reserva das passagens até o processo de reembolso – se necessário.

Mas, para que esses processos sejam feitos da forma mais completa e correta possível, os responsáveis pelo departamento levam MUITO tempo. Afinal, é preciso apurar todas as notas fiscais, sempre conferir a política de viagens estabelecida e afins.

Ao utilizar plataformas self-bookings – de preferência com as exigências da empresa já definidas e configuradas –, o processo é totalmente simplificado, uma vez que o próprio funcionário pode entrar e realizar as reservas. Além disso, o sistema fica encarregado pelos reembolsos e validação de recibos, o que otimiza muito tempo e reduz gargalos.

#3 – Automação de relatórios

Além da praticidade de várias ações que citamos no tópico anterior, também há a possibilidade de gerar relatórios completos de “uma vez só”, ao invés de ter todo o trabalho de exportar e organizar informações. Entretanto, isso dependerá dos tipos de integração disponíveis.

Principais características

Para escolher uma boa plataforma, é necessário se atentar aos seguintes pontos:

– Boa usabilidade no desktop e em dispositivos móveis

De forma geral, quando um usuário realiza o seu primeiro acesso, é preciso que ele identifique logo de cara como mexer na ferramenta, sem precisar de um manual de instruções ou algo do tipo.

Ademais, podemos afirmar que boa parte dos acessos à internet é proveniente de smartphones. Desse modo, a plataforma também precisa corresponder às expectativas de adaptação de usabilidade para todos os dispositivos.

– Suporte em tempo real

As ferramentas devem oferecer ajuda em tempo real aos usuários, seja por chat online no próprio site, WhatsApp ou telefone.

– Informações de passagens aéreas e hospedagens em tempo real

Uma boa plataforma precisa informar preços, disponibilidade e outros detalhes em tempo real, a fim de garantir que os usuários pesquisem e adquiram as melhores combinações entre itens como passagens aéreas e hospedagem.

– Facilidade nos pagamentos

A ferramenta deve permitir a configuração e parametrização das condições de pagamento com segurança. Por exemplo: ao configurar um cartão de crédito, todos os funcionários que acessarem a ferramenta podem realizar compras, sem necessariamente acessar os dados – lê-se: número do cartão, data de vencimento e código de segurança.

– Configurações dos níveis de acesso

As próprias empresas podem criar regras de utilização da plataforma, ao permitir que determinados usuários acessem relatórios e outros façam apenas a compra de suas próprias passagens, etc.

Exemplos de plataformas self-bookings

Ao identificar as principais características, muitas pessoas podem pensar que sites comuns como Decolar.com e o Booking – que realizam compra de passagens e reserva de hospedagens, respectivamente, se tratam de plataformas self-bookings. Mas, ainda que sejam dois sites intuitivos, que permitem a compra de itens de viagem sem ajuda de terceiros, não chegam a entrar na categoria que frisamos neste post.

Isso porque estamos falando de uma ferramenta ainda mais específica – voltada para empresas –, nas quais as mesmas podem criar suas próprias políticas de viagens, fornecendo total direcionamento nas compras dos funcionários para os deslocamentos corporativos.

Separamos dois exemplos:

#1 – PayTrack

A PayTrack é uma plataforma self-booking que centraliza os fornecedores de empresas, garante o cumprimento das regras dos usuários – diante à política de viagens que reforçamos – e realiza a integração da ferramenta ao backoffice da empresa.

Conta com algumas funções indispensáveis para organizações:

– Cotação Multi-agência;

– Políticas e regras;

– Integração com faturas;

– Controle de orçamento;

– Hotel preferencial;

– Agência interna;

– Função Delegate;

– Planejamento de roteiro.

#2 – OnFly

A OnFly também entra nessa categoria, e se define como “solução all-in-one com gestão de viagens e despesas em uma única plataforma, com intensivo uso de tecnologia e uma boa dose de calor humano”.

Disponibiliza os seguintes benefícios para organizações:

– Passagens com descontos;

– Gestão de despesas;

– Política de viagens;

– Fatura consolidada;

– Suporte;

– Cobrança transparente;

– Plataforma ágil;

– Mais de 320 mil hotéis espalhados pelo Brasil e mundo, com preços exclusivos.

Em suma, as plataformas self-bookings estão transformando as viagens corporativas ao simplificar processos com segurança e transparência.

Para ficar por dentro do mundo das viagens, é só continuar acompanhando o blog da Quick!

Postado em: setembro 30, 2020

Bleisure

Bleisure: saiba mais sobre a tendência em viagens corporativas

É possível conciliar trabalho e diversão? A Quick responde!

As viagens corporativas são indispensáveis para diversas organizações, principalmente quando falamos de vendas externas, congressos e outros eventos que exijam o deslocamento de funcionários.

Nesse sentido, algumas tendências surgem a fim de proporcionar mais conforto aos colaboradores. Hoje, falaremos sobre uma delas: bleisure.

Viagens corporativas: entenda sobre o assunto em 3 pontos!
Alta temporada de viagens: qual é a melhor época para viajar?
Classes de voo: saiba quais são os tipos e como cada um funciona!  

Entenda a origem do termo, o conceito, as vantagens e como as empresas colocam essa tendência em prática. Confira!

Bleisure: origem e conceito

O termo bleisure tem como origem a junção das palavras business (negócios) + leisure (lazer). Basicamente, isso quer dizer que os funcionários poderão unir o útil ao agradável: trabalhar e ao mesmo tempo ter momentos de diversão. Afinal, uma viagem corporativa não precisa ser cansativa ao tratar apenas de negócios, também é possível desfrutar das paisagens, fazer network, conhecer a cultura local e afins.

Mas, por trás disso, é claro que há muita organização, para que os compromissos de trabalho não sejam prejudicados. Os colaboradores cumprem os dias combinados e, geralmente, são liberados para turismo e outras atividades nos últimos dias.

Além disso, uma característica interessante dessa tendência é que os amigos ou familiares podem acompanhar no período adicional.

De acordo com dados de uma pesquisa do Bridge Street Global Hospitality, denominada The Bleisure Report 2014, 46% das pessoas entrevistadas já ficaram alguns dias a mais em suas viagens corporativas, enquanto 79% acreditam nos benefícios desta combinação.

Bleisure: vantagens

Sabemos que organizações que contam com culturas acolhedoras e prezam pelo bem-estar dos funcionários se destacam nos resultados. Isso porque os mesmos se sentem valorizados e motivados a desempenharem seus papéis da melhor forma possível.

Ao proporcionar bleisure, as empresas entram no ritmo deste novo cenário: incentivando os colaboradores, melhorando o rendimento perante ao mercado de trabalho e saindo à frente da concorrência.

Ademais, não são só os funcionários que sentem os efeitos positivos dessa tendência: outros setores da economia como as redes de transportes, gastronomia e hotelaria são beneficiadas, por exemplo, uma vez que durante a estadia, os hóspedes necessitarão de todos esses serviços.

Bleisure no cenário brasileiro

Apesar de ser uma forte tendência, a prática no Brasil permanece tímida – pelo menos até a data deste post. Isso se deve à resistência de empresas mais conservadoras, que acreditam que o lazer somado ao trabalho geram gastos “desnecessários” e podem tirar o foco.

Algumas (poucas) empresas adotaram a prática. Todavia, as negociações são totalmente “personalizáveis e internas”, por ainda não ter uma Política de Viagens definida para essa área.

A expectativa é que, futuramente, essa política seja redigida formalmente, com o objetivo de evitar desentendimentos – principalmente na parte de reembolsos, onde são separados os gastos do colaborador com atividades profissionais ou pessoais.

Aproveitando o gancho, é importante frisar que na bleisure, essa regra já fica quase que pré-definida: os gastos nos dias de lazer ficam na responsabilidade do próprio funcionário.

Como manter o controle de gastos nesse tipo de viagem?

As empresas que desejam colocar essa tendência em prática agora, precisam da regulamentação que citamos anteriormente. Nesse documento, deve constar todos os direitos e deveres de ambas as partes.

Além disso, é necessário indicar contatos de emergência, fornecedores e outros detalhes que a empresa julgue indispensáveis.

Por último, mas nunca menos importante, o planejamento financeiro. Nessa parte, é essencial discriminar a divisão de gastos. Por exemplo: a organização custeia passagens, hospedagens, transportes e alimentação. O que ficar fora disso, ficará a cargo do funcionário.

E aí, a empresa na qual você trabalha ou administra pratica – ou ao menos cogita – a implementação de bleisure?

Agora que você já sabe mais sobre esse assunto, pode torná-lo pauta nas próximas reuniões.

Para continuar por dentro do mundo das viagens, continue de olho no blog da Quick!

Postado em: setembro 15, 2020

ano novo quickbrasil voo cancelado

10 destinos para o Ano Novo no Brasil – Encontre a melhor festa de Réveillon

Receber o ano novo em grande estilo é essencial para muitos viajantes. Para isso, é necessário realizar ou escolher uma boa festa de Réveillon. Será que é preciso ir muito longe para encontrar a festa ideal? Paris? Ibiza? Nova York?

Pois saiba que o Brasil tem muitas opções excelentes para viver este momento único do ano, seja da mais badalada festa de Réveillon a comemorações focadas na renovação de energias, em eventos privados ou nas ruas, em cidades litorâneas e fora do litoral.

Para ajudar você a escolher a melhor festa de Réveillon de acordo com o seu interesse, preparamos este post com muitas informações sobre os destinos e festas de Ano Novo que garantem a diversão, uma linda paisagem, descanso físico e mental ou um momento incrível com a família.

 

A melhor festa de Réveillon do Brasil

Confira abaixo uma lista com incríveis destinos e festas de Réveillon melhores ainda. Dessa vez não organizamos por preferência, nossa lista está em ordem aleatória. Vamos lá?

 

1. Rio de Janeiro – RJ

Clássica virada de Ano Novo, a festa de Réveillon na praia de Copacabana é uma das mais famosas do mundo. Há uma selecionada programação de shows musicais antes da queima de fogos à meia noite. Além da praia de Copacabana, a festa de Ano Novo 2019 passará também por Barra da Tijuca, Parque de Madureira e Flamengo.

No quesito festas privadas, destacamos:

– Réveillon Azur 2019: acontece na Praia do Leblon (posto 11), em 31 de dezembro, a partir das 22 horas. O evento é all inclusive e pé na areia, open bar e de alta gastronomia preparada pelo chef Pedro de Artagão;

– Festa de Réveillon da Gávea: acontece no Clube Sociedade Germânia, no Alto Gávea, na zona sul carioca. Em meio à mata atlântica, é um ótimo ambiente para recarregar as energias. Festa open bar e all inclusive;

– Jockey Club do Rio de Janeiro: também na Gávea, a festa possui buffet e é open bar. Conta com a Bateria da Mangueira e diversas atrações para agitar a noite. Festa recomendada para famílias com crianças pequenas (há espaço kids e buffet infantil).

Saindo da capital carioca, a festa de Réveillon que acontece em Búzios merece atenção especial. O destino famoso por suas dezenas de praias hospeda o Réveillon Casa da Praia, que acontece na praia de Geribá.

 

2. Fernando de Noronha – PE

O nordeste do Brasil oferece uma variedade incrível de festas de Ano Novo. Fernando de Noronha é um destino que não poderia faltar. A vantagem de passar a virada do ano por lá é que o número de visitantes da ilha é controlado e por isso as festas são bastante exclusivas.

A disputada festa de Réveillon do Zé Maria é uma das melhores do arquipélago. Possui estrutura de alta qualidade, conta com programação de shows musicais, DJs, festival pirotécnico e tem uma vista maravilhosa das praias paradisíacas por conta de sua localização.

 

3. São Miguel dos Milagres – AL

Considerada uma joia do litoral alagoano, São Miguel dos Milagres é uma pequena cidade a 93km da capital Maceió, de estilo rústico e calmo. Suas praias chegam a ser comparadas ao Caribe por suas paisagens incríveis. São praias com lindos coqueiros, cercadas por recifes e piscinas naturais de águas cristalinas e mornas, sendo esse mais um destino para renovar as energias no Ano Novo.

A cidade recebe o badalado Réveillon dos Milagres, organizado em 5 festas. De eventos Sunset até balada pé na areia, o destino está cada vez mais famoso pela diversão que garante. O Réveillon 2019 acontece de 27 a 31 de dezembro.

 

Festa de Réveillon em Trancoso – BA

4. Festa de Réveillon em Trancoso – BA

Trancoso é um dos destinos mais famosos da Bahia. No quesito festa de Réveillon, conta com grandes festas como:

– Agência Haute: organiza eventos bastante agitados – Corona, We Love Trancoso, Sunsets, Pré Réveillon, Saravá (focada no MPB) e Taípe (festa da virada), sem contar com a Ressaca de Réveillon. A programação costuma ir de 27 de dezembro a 2 de janeiro são confirmados DJs que garantem muito eletrônico e brasilidades.

– Óscar Party: também conta com 5 festas e um beach club, geralmente entre 20 de dezembro e 2 de janeiro.

 

5. Festa de Réveillon em Praia do Rosa – SC

Festa de Réveillon em Praia do Rosa – SC

Situada no litoral sul de Santa Catarina, a Praia do Rosa, em Imbituba, é uma das 30 paisagens mais bonitas do mundo, reunindo lagoas próximas ao mar, trilhas de mata nativa e jardins floridos.

A festa de Réveillon Virada Mágica acontece na Pousada Fazenda Verde do Rosa, num grande camarote à beira-mar, sendo uma das mais prestigiadas do país.

Um detalhe interessante sobre a festa é a sua atenção à sustentabilidade. Para combater a grande quantidade de resíduos, todos os convidados devem levar R$20 para consignar pelo menos um copo, sendo esse valor reembolsado ao final do evento.

No geral, a Praia do Rosa conta com centenas de pousadas, restaurantes e bares que garantem muita diversão durante os dias de hospedagem.

 

6. Alter do Chão – PA

O Réveillon Vai Tapajós é um dos mais exóticos do Brasil. O cenário da festa conta com igapós e igarapés do Rio Tapajós, além de praias de água doce verde-azulada, cristalina e de areia branca, já eleitas as mais bonitas do mundo pelo The Guardian. Não é à toa que o lugar é chamado de Caribe Amazônico e atrai pessoas do mundo inteiro durante o verão.

Festas dentro do barco com cardápio exclusivo e boa música fazem parte das comemorações. Em sua edição de 2018, a festa que abriu o evento foi a Karua Borari, contando com a melhor gastronomia tapajônica. Em seguida aconteceu a festa Karua Carapanari, na isolada praia de Carapanari, com uma after party na balsa no fim da noite. Por fim, a virada de ano ocorreu durante a festa Karua Ara Pyau, em uma praia secreta às margens do Rio Tapajós.

É possível aproveitar a viagem e visitar a linda Ilha do Amor e a Reserva Extrativista Tapajós-Aapiuns para fazer trilhas e conhecer a cultura das comunidades ribeirinhas.

 

Festa de Réveillon em Jericoacoara – CE

7. Festa de Réveillon em Jericoacoara – CE

O município de Jijoca de Jericoacoara atrai turistas de todos os cantos do mundo por conta de suas dunas douradas, lagoas de águas transparentes, clima sossegado, paradisíaco, aconchegante e de seu sol brilhante durante todo o ano.

A festa de Réveillon Je Suis Jeri é formada por eventos ao pôr do sol (Sunset Party), baladas e festas de pé na areia em 4 dias de festa. Destaque para as festas Coletivo Missa e Corona Sunsets. Há uma mistura de gêneros musicais como eletrônico, pop e muita música brasileira.

Já a festa John John Rocks ocorre em 5 dias de evento e costuma contar com a confirmação de nomes famosos da música brasileira. Essa festa também promove a sustentabilidade, visto que o lixo produzido é reciclado na Usina de Reciclagem, gerenciada pela Cooperativa de Catadores de Jericoacoara.

 

8. Festa de Réveillon em São Paulo – SPFesta de Réveillon em São Paulo – SP

Outro clássico destino para a virada do Ano Novo (e até mesmo fora das tradicionais cidades litorâneas), São Paulo certamente conta com muitas festas de Réveillon. Merecem destaque:

– Festa de Réveillon de Ilhabela: balada à beira-mar, oferece opções como o Gold Beach Club (arte, música, natureza, entretenimento e alta gastronomia); e a tradicional festa de Réveillon do Sea Club;

– Festa de Réveillon da Avenida Paulista: conta com muitos shows musicais e queima de fogos. O evento é gratuito.

– Réveillon Café de la Musique: acontece no Guarujá, no Café Beach Club São Pedro. O espaço possui piscinas e bangalôs e costumam ser servidos canapés e ceia de Réveillon, com open bar até a manhã do dia 1º de janeiro. São 25 minutos de queima de fogos durante a virada do ano e DJs confirmados para tocar noite adentro.

 

9. Carneiros – PE

Eleita uma das 10 praias mais bonitas do mundo, Carneiros fica a 88km de Recife e é um cenário paradisíaco para o Réveillon Carneiros, com 5 dias de comemorações. O evento conta com festas na praia estilo Beach Club, luais, festas ao pôr do sol (Sunsets) e festas noturnas.

 

10. Festa de Réveillon em Santo André – BA

A Vila de Santo André é outra pequena cidade com praias paradisíacas, lugar escolhido pela Seleção Alemã em 2014 para se hospedar e concentrar durante a Copa do Mundo.

O Réveillon Make a Wish ocorre nesta cidade e conta com 5 dias de festas. O visual deslumbrante de suas praias paradisíacas e a energia de um povoado tranquilo na Bahia são garantia de descanso e diversão.

 

( ! ) DICA: se você deseja fugir das badaladas festas de Réveillon durante o Ano Novo, recomendamos viajar até a Chapada dos Veadeiros para fazer um retiro espiritual. Tirar um tempo para meditar, praticar ioga e refletir sobre a vida significa começar o novo ano revigorado. Um Réveillon zen voltado para as práticas saudáveis pode ser tudo o que você precisa para escapar da corrida rotina de fim de ano.

Vai passar o Ano Novo em companhia das crianças? Confira essa lista de destinos para viajar com os pequenos.

 

Postado em: outubro 9, 2018

20 pontos turísticos e dicas de viagem para Aparecida em SP

A viagem para Aparecida é um clássico roteiro de viagem de fiéis que buscam a intercessão de Nossa Senhora Aparecida ou desejam agradecer pelas graças concedidas. A cidade é o principal destino de turismo religioso do país.

Mas a cidade tem mais detalhes que um viajante que passa por lá pela primeira, segunda, ou terceira vez pode perceber. Não queremos que você perca nada ao visitá-la, principalmente se desejar participar da festa do Dia da Padroeira, 12 de outubro.

Por isso, reunimos aqui muitas dicas valiosas para essa viagem para Aparecida, incluindo melhores datas, como chegar, o que fazer, dicas gerais e descrição dos pontos turísticos e atividades para você montar um roteiro perfeito conforme seu tempo e interesse.

Esse post cheio de coisas legais para fazer em Aparecida irá garantir ao viajante uma imersão completa no ambiente religioso dedicado à Padroeira do Brasil.

 

História da imagem da Padroeira

Imagem Milagrosa de Aparecida

Em 1717, três pescadores saíram para pescar no Rio Paraíba do Sul em uma época difícil. Ao tirarem a rede da água, havia um objeto preso nela. Era a imagem de uma santa, com a cabeça quebrada no pescoço. Jogaram a rede novamente na água e então pescaram a cabeça da imagem. Juntando as partes, os pescadores perceberam que aquela era Nossa Senhora da Conceição.

Após o ocorrido, a pesca foi abundante. Em agradecimento, a imagem da santa foi colocada em um altar. Em razão da sua aparição, a santa começou a ser chamada de Aparecida.

Obs.: o nome da cidade é Aparecida, como foi chamada a santa, e não Aparecida do Norte, como muitos brasileiros costumam chamá-la.

 

Quando viajar para Aparecida?

Morro do Presépio

Os dias mais tranquilos para fazer a viagem para Aparecida e visitar suas atrações turísticas é de segunda a sexta em qualquer época do ano. A experiência de fazer a visita com menos romeiros na cidade é diferenciada. Nos finais de semana e feriados, com destaque para os feriados religiosos como Semana Santa e Corpus Christi, a cidade fica bastante cheia.

Mas é preciso lembrar especialmente que 12 de outubro é o dia de Nossa Senhora Aparecida. Por isso, nesta data a cidade costuma ficar muito, mas muito cheia de romeiros.

A título de informação, Aparecida recebe visitantes durante o ano todo, sendo um dos pontos turísticos mais visitados do Brasil. Para se ter uma ideia, em um ano passam por lá cerca de 12 milhões de visitantes. Para compararmos, o número de visitantes estrangeiros que visita o Brasil durante o mesmo período é de 6 milhões.

 

Como chegar em Aparecida?

Matriz Basílica de Nossa Senhora Aparecida

Se você for viajar de carro, confira o melhor trajeto partindo de sua cidade. Lembrando que pela via terrestre há como fazer a viagem para Aparecida também de ônibus saindo do terminal rodoviário ou em excursões. Caso deseje viajar de avião, é possível desembarcar tanto no aeroporto de São José dos Campos quanto em Guarulhos e seguir viagem de ônibus até a cidade.

Se você optar por um voo para São José dos Campos, a 80km de Aparecida, saiba que as passagens aéreas para esse destino são um pouco mais caras. Após o voo, você precisará ir até a rodoviária da cidade para comprar a passagem de ônibus e então viajar até Aparecida a partir de lá;

Caso escolha um voo para Guarulhos, a 160km de Aparecida (opção com passagens aéreas mais baratas e maior número de voos), saiba que há ônibus de viagem partindo do aeroporto para Aparecida, com parada na rodoviária de São José dos Campos. Por isso, deverão ser compradas duas passagens para o trajeto Guarulhos/São José dos Campos/Aparecida, mas ambas já são vendidas juntas no Terminal 2 do próprio aeroporto.

Neste caso, lembre-se de comprar passagens de ônibus com algum intervalo de tempo entre elas para que você não tenha problemas caso o primeiro ônibus atrase.

 

O que fazer em Aparecida: pontos turísticos e atividades

 O Santuário Nacional de Aparecida

Santuário Nacional de Aparecida

O Santuário Nacional de Aparecida é um complexo de devoção onde muitos visitantes vão para pedir a intercessão de Nossa Senhora e pagar promessas. Para ficar mais fácil de você planejar seu roteiro de viagem para Aparecida, vamos separar os pontos turísticos em duas categorias: dentro e fora do Santuário.

A Catedral Basílica de Nossa Senhora da Conceição Aparecida (nome oficial), conhecida como Basílica Nova e maior igreja católica das Américas, possui placas muito bem posicionadas para orientar o viajante em sua visita.

1. Não deixe de conhecer a Cúpula Central, Capela do Batismo, Capela da Ressurreição, Capela do Santíssimo, Capela de São José.

2. Nicho da Imagem Milagrosa de Aparecida: é o local onde fica a imagem original encontrada pelos pescadores no Rio Paraíba do Sul.

3. Subsolo do Santuário Nacional:

– Sala de Promessas: também chamada de Sala dos Milagres, é o local onde os viajantes podem deixar objetos em retribuição às graças alcançadas com a intercessão de Nossa Senhora. O teto do lugar é revestido por fotos de fiéis que alcançaram suas graças;

– Casa do Pão: a padaria do subsolo possui fabricação própria de vários quitutes. Faz parte de um projeto social do Santuário para profissionalizar jovens em confeitaria e panificação;

– Espaço Devotos Mirins: uma imagem infantil de Nossa Senhora fica exposta no local. Nos feriados e finais de semana acolhe apresentações de teatro para as crianças.

4. Museu Nossa Senhora Aparecida: os 2 primeiros andares da Torre de Brasília são dedicados ao museu. Lá são encontradas imagens, pinturas e outros elementos de devoção mariana nacional relacionados ao patrimônio religioso de Aparecida.

 5. Torre de Brasília: no 18º andar (a 110 metros de altura) da Torre de Brasília há um mirante com vista de 360 graus para parte da cidade de Aparecida e o Rio Paraíba do Sul. Neste mirante há uma linha do tempo que conta a história da Padroeira do Brasil.

6. Campanário: obra de Jubileu Mariano e projeto de Oscar Niemeyer, o campanário possui 13 sinos, sendo 12 em homenagem aos apóstolos. O maior sino é uma homenagem à Virgem Maria e São José.

Capela das Velas

7. Capela das Velas: esta capela é o único local permitido para acender velas em agradecimento às graças recebidas ou às almas de entes queridos. Um ponto interessante desta construção é que ela possui filtro e exaustor para absorver a poluição causada pela queima da parafina.

8. Memorial da Devoção:

– Cine Padroeira: espaço que conta em um filme de 15 minutos a história da imagem da Padroeira e seus principais milagres após este dia. É usada tecnologia 3D sem óculos.

– Museu de Cera: é um clássico museu de cera, porém sobre religiosidade. Conta com a representação de personalidades como Madre Teresa de Calcutá, Papa Francisco, Papa João Paulo II e o Padre Marcelo Rossi. São 65 estátuas no total e 20 cenários.

– Espaço Devotos Mirins: semelhante ao espaço localizado no subsolo da Basílica, possui 3 cenários e estátuas em resina dos personagens da Campanha Família dos Devotos (história em quadrinhos).

9. Morro do Presépio: o Presépio permanente de Aparecida conta alguns dos momentos da infância de Jesus. O local possui cascata, um lago, pequenas grutas e mirante.

10. Missa no Santuário: Confira aqui os horários das missas diárias realizadas no Santuário. Às 18h dos sábados, a missa é especialmente dedicada à Nossa Senhora Aparecida e é seguida de uma bonita procissão ao redor da Basílica.

( ! ) Visite o Santuário de noite: fora do horário de funcionamento do comércio, a experiência é diferenciada. Lembrando que a Basílica em si, especialmente a Capela do Santíssimo, Capela das Velas e o Nicho da Imagem Milagrosa, funcionam até às 22h.

 

Pontos de visita fora do Santuário Nacional de Aparecida

11. Passarela da Fé: a Passarela da Fé começa dentro do Santuário Nacional e vai até a Matriz Basílica, na área externa. Muitos romeiros costumam percorrer seus 390 metros de comprimento para pagar promessas. Sem grande movimento, o tempo médio para percorrê-la é de 10 minutos.

Teleférico

12. Matriz Basílica de Nossa Senhora Aparecida: primeira Basílica construída na cidade em homenagem à Aparecida, é uma igreja de estilo barroco tombada como monumento histórico, religioso e arquitetônico.

13. Teleférico: o teleférico conta com 2 estações tanto para embarque quanto para desembarque – Santuário e Morro do Cruzeiro. O percurso é de 1200 metros e alcança 115 metros de altura em cerca de 7 minutos.

14. Morro do Cruzeiro: é neste local onde acontece a tradicional Via-Sacra em cada sexta-feira de Quaresma, reunindo até 5 mil pessoas na Sexta-feira da Paixão. Painéis feitos pelo artista Adélio Sarro representam o caminho percorrido por Jesus antes de ser crucificado.

15. Porto Itaguaçu: é possível fazer um passeio de barco até o local exato onde a imagem da santa foi pescada. Perto do porto ficam a Igreja de São Geraldo e o Mirante das Pedras (com uma imagem da Padroeira de 1,80 metros).

Porto Itaguaçu

16. Igreja São Benedito: singela igreja próxima ao terminal rodoviário da cidade. Em suas paredes estão anjos esculpidos por Chico Santeiro.

17. Memorial do Redentorista: é um museu em homenagem aos religiosos que já serviram à congregação.

18. Compras e Alimentação – Centro de Apoio ao Romeiro: além das diversas lojas oficiais dentro do próprio Santuário, o Centro de Apoio ao Romeiro possui infraestrutura para receber os visitantes, contando com praça de alimentação, telefones, caixas eletrônicos, fraldário, banheiros, bebedouros e cerca de 380 lojas vendendo artigos religiosos e diversos produtos. É aqui onde você pode tirar dúvidas, pedir informações e retirar folders explicativos.

19. Feira Livre: com mais de 800 barracas, acontece nos finais de semana, em volta do Santuário. Nesta feira é possível encontrar de tudo, não apenas artigos religiosos.

20. Santuário Frei Galvão: em Guaratinguetá, a 13 km da Basílica de Aparecida, é neste Santuário que vão os fiéis para agradecer pelas graças alcançadas com a intercessão do santo e buscar pelas famosas pílulas do Frei Galvão, distribuídas de forma gratuita. A estátua do Frei Galvão em frente ao Santuário foi abençoada pelo Papa Francisco em 2013.

 

Dicas de viagem para Aparecida: pontos gerais

1. Vá preparado para o calor, mas com roupas adequadas para o ambiente religioso: na viagem para Aparecida, não conte com muitas árvores ou sombras e saiba que a visita pode exigir longas caminhadas. Caso viaje em alta temporada, a multidão de turistas pode obrigar seu roteiro a seguir mais lento e por isso com maior exposição ao sol. Use protetor solar, roupas e sapatos confortáveis e mantenha-se hidratado. Prefira alimentações mais leves. Por fim, não se descuide do frio se viajar durante o inverno.

Imagens de Nossa Senhora Aparecida nas lojas

2. Como se sentar durante a missa: as missas em Aparecida costumam ser bastante cheias e duram cerca de 2 horas. A dica para conseguir um lugar para se sentar é chegar no fim da missa anterior, principalmente se tiver acompanhado de idosos – porque às vezes até mesmo eles terão que ficar em pé.

3. Evite filas ao conhecer a imagem de Nossa Senhora Aparecida: vá até a imagem encontrada no rio durante os horários de missa. Assim, é possível encontrar por lá menor número de visitantes e fazer tranquilamente uma oração ou tirar fotos.

4. Se prepare para caminhar bastante ou se informe sobre o transporte local: em Aparecida, os pontos de visitação não são todos muito próximos uns dos outros. Por isso, se você decidir não ir de carro, este será um ponto importante de seu planejamento. Há, por exemplo, serviço de taxi para trajetos dentro da própria Basílica. Os preços do taxi dentro da cidade são tabelados, não por taxímetro. Os valores são informados no ponto oficial de táxi, em frente ao Centro de Apoio ao Romeiro.

5. Desconto no Museu de Cera ou Cine Padroeira: ao comprar entradas para o teleférico, pergunte por promoções caso compre também entradas para uma das duas atrações.

Lembre-se: Se você passa por uma situação de voo cancelado, atraso de voo, perda de conexão, overbooking, perda de compromisso ou embarque negado, pode cadastrar seu caso conosco e receber uma compensação financeira em uma semana.

Agora você tem em mãos todo tipo de informação para uma boa imersão nesta cidade referência de religiosidade e devoção. Boa viagem!

Postado em: outubro 5, 2018

7 destinos divertidos para viajar com crianças no Brasil

Muitas famílias se programam para viajar com crianças em épocas como Dia das Crianças e férias de janeiro, períodos de longos recessos ou férias escolares. Porém, muitos pais se perguntam qual seria o melhor tipo de atração ou destino que possa garantir diversão.

Pensando nessa época do ano e na aproximação das férias de janeiro de 2019, a QuickBrasil elaborou esse post cheio de dicas para viajar com as crianças para destinos bastante divertidos (e até mesmo premiados!).

Neste post você encontrará uma boa variedade de programas: praias, museus infantis, passeio de Maria-Fumaça, contato com a natureza, parques aquáticos, parques de diversão etc. Você certamente estará preparado para oferecer ótimos momentos de recordação às crianças e relaxará ou se divertirá muito em suas próprias férias.

 

Para onde viajar com crianças no Brasil?Viajar com crianças

Há destinos para todos os gostos e objetivos. Abaixo segue a lista dos 7 lugares que indicamos. Tivemos o cuidado de separar pelo menos um destino em cada região do Brasil para que cada família conheça um local mais próximo de sua cidade. É hora e planejar a viagem e se divertir muito!

Primeiro, deixamos aqui o link de acesso ao nosso post sobre dicas e documentos para viajar com crianças.

Conhece os posts com nossas dicas indispensáveis para planejar viagens incríveis? Eles estão aqui e aqui.

É hora da lista!

 

1. Beto Carrero World – Penha, SC

Beto Carrero World

Situado na cidade de Penha/SC, Beto Carrero World foi eleito o melhor parque de diversões e aquáticos da América do Sul pelo Travellers’ Choice 2018, prêmio da TripAdvisor (já falamos sobre ele aqui).

O parque é dividido em áreas temáticas, a exemplo da Aventura Radical, Terra da Fantasia, Mundo Animal, Ilha dos Piratas, Carros e Velocidade, Madagascar, Velho Oeste. Esteja preparado para atividades como roda-gigante, kart, montanhas-russas, atrações que molham, zoológico, shows musicais, teatros, exposições entre outras.

Um recente contrato com a Dreamworks levou ao parque personagens icônicos como o Panda Po (Kung Fu Panda) e toda a turma de Madagascar e Shrek.

* Outros passeios pela região: o parque fica bem próximo do Balneário Camboriú e de outras praias do litoral de Santa Catarina. Assim, é possível aproveitar em uma mesma viagem o parque de diversões e outras atividades no entorno.

 

2. Viajar com crianças ao Hopi Hari – Vinhedo, SP

Viajar com crianças ao Hopi Hari – Vinhedo, SP
Hopi Hari

O tradicional parque de diversões Hopi Hari reabriu suas portas em 2017 e conta agora com uma área dedicada às crianças, além das famosas atrações.

Nesta nova fase do parque, seu funcionamento é de sexta a domingo e nos feriados, sendo preciso comprar as entradas e agendar a visita com antecedência. Como nos maiores parques temáticos, é importante planejar seu roteiro para visitação, considerando que algumas atrações só funcionam pela tarde.

O Hopi Hari também é dividido em áreas, sendo algumas delas: Wild West – inspirado no velho oeste americano; Kamina Mundi – voltada para a temática dos jogos eletrônicos, arcades e competições; Misteri – inspirada em culturas pré-colombianas; Aribabiba – com o tema dos SuperAmigos, personagens da DC Comics; e Infantasia – a área dedicada às crianças menores, tematizada com os personagens da Looney Tunes.

Entre as atrações mais famosas estão:

– A Montezum, uma montanha-russa de madeira de mais de 40 metros de altura que atinge até 104km/h;

– A Katapul, uma montanha-russa de propulsão comandada pelo Super-Homem;

– O Vulaviking, o tradicional barco viking que balança para trás e para frente dando aquele friozinho na barriga.

* Outros passeios pela região: o parque aquático Wet’n Wild fica ao lado do Hopi Hari e conta com atrações para crianças e adultos, para divertir e para relaxar. Vale a pena planejar uma viagem para aproveitar ambos os parques.

 

3. Rio Quente Resorts – Rio Quente, GO

Hot Park, Rio Quente Resorts

O complexo Rio Quente Resorts é uma ótima pedida ao viajar com crianças. A 27km de Caldas Novas, é uma estrutura completa para as famílias que conta com: 6 hotéis, o parque aquático Hot Park, o parque das Fontes e a Praia do Cerrado. Aqui o viajante encontra piscinas termais para relaxar, toboáguas, tirolesas, piscinas de ondas e praias artificiais, reservas de animais e shows.

Os parques aquáticos têm as águas naturalmente quentes devido a um fenômeno geológico e chegam a brotar do solo a 37,5ºC.

* Parque das Fontes

Esse parque é de uso exclusivo dos hóspedes do Rio Quente Resorts. Aberto por 24h e em meio à natureza, conta com bares molhados, piscina rasa com gruta, piscinas correntes e área infantil.

* Hot Park

Aberto ao público, o Hot Park possui diversas atrações aquáticas, piscinas quentes, rio lento, bares molhados e atividades pagas à parte como mergulho, standup, eco-pesca, tirolesa, golf etc.

Para as crianças pequenas há o Clubinho da Criança com piscinas rasas, rio lento, muitos brinquedos e jatos d’água. Para aquelas maiores de 3 anos há o Hotibum, que conta com escorregadores mais radicais que o Clubinho da Criança. O grau de intensidade da atração varia também de acordo com a altura da criança, sendo 1,30m a 1,40m as alturas mínimas para frequentar aquelas atrações realmente radicais.

* Praia do Cerrado

Também aberta ao público, a Praia do Cerrado é uma praia artificial com águas quentes, coqueiros e areia branca, sendo a maior praia de água quente natural e corrente do mundo.

* Outros passeios pela região: visite Caldas Novas! A cidade oferece outros parques aquáticos como o DiRoma AcquaPark (parque aquático premiado), o Náutico Praia Clube, o Lagoa Termas Parque, Sesc Caldas Novas e possui diversos passeios pela natureza, como ao parque Estadual da Serra de Caldas Novas.

 

4. Viajar com crianças ao Beach Park – Aquiraz, CE

Viajar com crianças ao Beach Park – Aquiraz, CE
Beach Park

Em 2º lugar na lista entre os melhores parques de diversões e aquáticos da América do Sul pelo prêmio Travellers’ Choice 2018, o Beach Park é um parque aquático renomado em Aquiraz/CE, a 20km da capital Fortaleza.

Entre as atrações mais radicais está o Insano, toboágua de 41 metros de altura que atinge a velocidade de 105km/h. O Arrepius também se destaca por reunir cinco toboáguas com diferentes tipos de descidas. Modalidade do Arrepius, no Skybox o chão se abre e a sensação é de queda livre. Ao viajar com crianças, não se esqueça de conferir a altura mínima para entrar em cada atração.

Entre as atrações mais leves, o parque conta com o Maremoto (piscina de ondas), o rio lento, o AcquaShow e Aquabismo. Além disso, o parque conta com shows agendados.

Para as crianças de até 12 anos, o Beach Park tem o AcquaCirco, um grande playground molhado com mais de 50 brinquedos, e o AcquaBaby. O parque conta também com monitores que realizam atividades voltadas para o público infantil.

* Outros passeios pela região: passeie pelas praias de Fortaleza, que são muito bonitas, acolhedoras e de água agradavelmente mornas. A praia Porto das Dunas, onde fica o Beach Park, é uma bela muito limpa e de areia clara, por exemplo. O Y-Park (complexo I-Park) também é uma ótima opção, bastante conhecido por suas atividades ao ar livre como tirolesas, escalada, atrações aquáticas e circuitos de arvorismo.

 

5. Viajar com crianças a Thermas dos Laranjais – Olímpia, SP

Thermas dos Laranjais

O Brasil está mesmo se destacando na lista dos melhores parques de diversões e aquáticos da América do Sul pelo prêmio Travellers’ Choice 2018. O Thermas dos Laranjais é o 3º melhor do continente. É um parque aquático de águas quentes (termais), com atrações que variam de relaxantes a radicais, ideal para viajar com crianças. São encontradas atrações e atividades como praias com ondas artificias, rio lento, pista de surfe, toboáguas diversos e piscinas com bares molhados.

Dentre as atrações preferidas está a Xícara Maluca: um tobogã totalmente fechado a 18 metros do chão que leva a todos a 30km/h. Nas atrações para relaxar estão a Piscina de Pedra (revestida por pedras que massageiam com água a 38ºC), o Hidrobalanço e o Poço Bandeirantes. Já a Thermas Blaster é a primeira montanha-russa aquática da América Latina.

Nas atrações voltadas especialmente para as crianças estão o Hula Hula, um escorregador tranquilo de 15 metros de comprimento; a Bolha Infantil; e o Clube das Crianças, com 68 brinquedos molhados para os mais novos. A Piscina Maluca é outra atração de sucesso: a atração recria uma espécie de prova de obstáculos flutuantes que requer muita vontade e animação para chegar ao final.

* Outros passeios pela região: O Hot Beach é o segundo parque aquático de Olímpia. Considerado um super parque termal, possui atrações suaves, moderadas e radicais, praia de areia branca e até uma escolinha de surfe. Na cidade de Olímpia, visite o Museu de História e Folclore Maria Olímpia, que realiza anualmente o Festival Nacional do Folclore.

 

6. Gramado e Canela – RS

Reino do Chocolate, Gramado

Ambas as cidades da serra gaúcha são excelentes destinos para viajar com crianças. Gramado e Canela são cidades especiais para esse tipo de viagem e estão a apenas 7,5km de distância uma da outra. As atividades na região incluem visitas a parques, cidades em miniatura, fábrica de chocolates, se divertir na neve e contemplar a natureza.

* Gramado

Em Gramado, uma das atividades mais adoradas pelas crianças é a visita ao Mini Mundo, um parque temático a céu aberto que tem réplicas de construções 24 vezes menores que o tamanho real. Hoje são mais de 200 obras e 2.500 minihabitantes formando diversas cenas compostas por castelos, ferrovias, casas etc.

Em uma visita aos automóveis antigos na Hollywood Dream Cars, é possível ver carros da década de 50, como os famosos Cadillacs estilo rabo-de-peixe. Em meio aos itens raros estão um Ford Victoria conversível de 1956, o único do país.

* Resumo de atividades para crianças em Gramado: Mundo Encantado, Gramado Zoo, Mundo de Chocolate, Aldeia do Papai Noel e Snowland.

* Canela

Em Canela, o destaque vai para atividades como a visita ao Reino do Chocolate Caracol, um espaço temático em homenagem ao chocolate onde se pode conhecer sua história e comprar guloseimas em lojinhas; e a visita ao Mundo a Vapor, um espaço dedicado às maquinas a vapor criado a partir de réplicas que mostram todo o seu funcionamento mecânico, aplicação e importância desde a Revolução Industrial.

* Resumo de atividades para crianças em Canela: Parque Terra Mágica Florybal (parque aquático premiado), Museu de Cera Freamland, Vale dos Dinossauros, Alpen Park (parque de diversões premiado).

* Outros passeios pela região: passeie com as crianças no Labirinto Verde, em Nova Petrópolis (a 30km de distância de Gramado). Há também atividades como passeio de Maria-Fumaça entre Garibaldi e Carlos Barbosa.

 

7. Amazônia em grupo – Manaus, AM e Belém, PA

Amazônia

A Amazônia é a maior floresta tropical do planeta e acolhe 50% de toda a biodiversidade existente. É um destino para viajar com crianças que gostem de aventura e se interessam por ecologia. Neste tipo de viagem devem ser incluídos roteiros em Manaus e Belém.

Em um roteiro pensado para incluir atividades pedagógicas voltadas para as crianças, o universo selvagem do pulmão do planeta oferece atividades como:

– Trilhas para conhecer a biodiversidade da floresta;

– Ver animais silvestres,

– Passeio pelo rio;

– Ter contato com as tribos indígenas, suas danças e hábitos alimentares;

– Visitar o ponto de encontro dos Rios Negro e Solimões – águas com tons diferentes que não se misturam;

– Visitar os botos-cor-de-rosa, personagem muito conhecido do folclore brasileiro;

– Visitar pontos turísticos como o Mercado Municipal de Manaus e Teatro Amazonas.

É possível planejar viajar com crianças com esse mesmo objetivo ecológico para destinos como: Pantanal, Chapada Diamantina/BA, Lençóis Maranhenses/MA, Bonito/MS.

 

Problemas com voo

Para quaisquer problemas com voo, é bom estar preparado e conhecer os seus direitos a fim de evitar maiores danos. Para voo cancelado ou atrasado por mais de 4 horas, conheça aqui os seus direitos. Clique aqui em caso de alteração e de voo e aqui em caso de embarque negado.

 

Confira a lista completa dos 10 melhores parques de diversões e aquáticos do Brasil segundo o Travelers’ Choice 2018, da TripAdvisor.

Postado em: outubro 1, 2018

7 destinos para viajar com pouco dinheiro pelo mundo

Muita gente pensa que viajar é sinônimo de gastar muito dinheiro, mas essa é uma afirmação equivocada. Se está impossível viajar com pouco dinheiro para o destino escolhido, tente escolher destinos onde o Real vale mais que a moeda local e a tudo mudará.

Você já tinha pensado nisso antes ou estava preso à cotação do dólar? São vários os destinos espalhados pelo mundo cuja moeda se mantém desvalorizada em relação ao Real durante todo o ano.

Para contribuir para a sua lista de desejos, conheça detalhes sobre estes 7 destinos selecionados para viajar com pouco dinheiro. Separamos informações valiosas, dicas turísticas e valores praticados nos países para que você não perca nada da melhor diversão ou do descanso que o destino pode proporcionar.

 

Como viajar com pouco dinheiro?

De todas as respostas possíveis, a melhor delas é adotar estratégias para usar bem o seu dinheiro. As 3 principais estratégias são: escolher um destino no qual o Real vale mais que a moeda local, acumular e usar milhas aéreas com responsabilidade e planejar a viagem passo a passo.

Como já ensinamos a acumular e a usar milhas de forma inteligente e a planejar uma viagem incrível neste primeiro e neste segundo post, é hora de se ter noção sobre destinos para onde é possível viajar com pouco dinheiro em razão da moeda local ser desvalorizada em comparação ao real.

Dessa vez, nossa lista de destinos está separada por países em ordem alfabética. Claro que nós gostaríamos de falar sobre muito mais que 7 destinos, mas a boa notícia é que a lista de países que se enquadram nessa possibilidade é bem longa.

Separamos então a cotação da moeda de cada país, suas principais cidades, atividades e atrações e acrescentamos ao final uma noção de gasto com as principais refeições para nortear o viajante sobre os preços praticados nos países, lembrando que esses valores variam conforme a cidade e o requinte do restaurante.

Vamos à lista?

 

África do Sul

Cidade do Cabo – África do Sul

Cotação: 1 Rand sul-africano é igual a 0,28 Real.

Cidades, atividades e atrações: história, safáris, vinícolas, praias, parques nacionais, esportes radicais.

Em Joanesburgo, o visitante pode encontrar tanto construções modernas quanto mercados africanos. Na cidade estão parte da trajetória de Nelson Mandela (Mandela House), o Museu do Apartheid e o estádio da Copa do Mundo de 2010. Há sítios arqueológicos nas proximidades e é possível realizar safáris em parques como o Pilanesberg National Park (em Rustemburgo).

Já a Simon’s Town atrai visitantes pelas belíssimas praias, pontos para mergulho e visitação a uma colônia de pinguins africanos.

Durban é um ótimo destino para quem procura praias e surfe. Por lá, não deixe de visitar o Jardim Botânico.

A Cidade de Cabo é também é conhecida por suas praias, mas o cenário das montanhas é mais famoso, bem como a Ilha Robben. Destaque para a gastronomia da cidade e para as vinícolas nos arredores.

Noção de valores médios diários para alimentação: R$20-40 para café da manhã; R$28-70 para almoço; e R$30-75 para jantar.

 

Argentina

Buenos Aires – Argentina

Cotação: 1 Peso argentino é igual a 0,10 Real.

Cidades, atividades e atrações: história, vida noturna, esqui, gastronomia, locais de descanso e contato com a natureza.

Buenos Aires oferece muita energia, restaurantes românticos e vida noturna animada. Suas avenidas, parques e arquitetura se destacam pelo traço europeu. Não deixe de visitar o Café Tortoni, o bar mais antigo da cidade; o Teatro Cólon; o estádio de futebol do Boca Júnior; e bairros como Puerto Madero e a Recoleta. Não volte ao Brasil sem experimentar as famosas parrillas e excelentes vinhos. Um dos melhores destinos para viajar com pouco dinheiro.

San Carlos de Bariloche, aos pés dos Andes, é um famoso destino de esqui em todo o mundo. Além da neve, há lagos, praias, casas noturnas e excelente gastronomia. No verão, aproveite para praticar esportes náuticos.

Em Ushuaia, a cidade mais ao sul do mundo, é possível experimentar aventuras em meio à vida selvagem com pinguins e orcas no Canal de Beagle. Atividades como esqui e andar de caiaque chamam a atenção dos viajantes.

Valores médios diários para alimentação: R$7-17 para café da manhã; R$17-30 para almoço; e R$20-40 para jantar.

 

Colômbia

Medellín – Colômbia

Cotação: 1 Peso colombiano é igual a 0,0013 Real.

Cidades, atividades e atrações: praias, natureza, história, construções coloniais coloridas, vida noturna, forte gastronomia e um bom café colombiano.

Bogotá, capital do país, tem um belo centro turístico no bairro La Candelaria. Atrações como Museo del Oro, Museo Botero (obras de Fernando Botero, maior artista plástico da Colômbia) merecem destaque. Os pratos típicos ajiaco e pandeyuca não decepcionam.

A moderna Medellín é a chamada “cidade modelo” da Colômbia por sua organização, segurança e beleza. Ideal para passear por praças, visitar museus, o Parque dos Desejos, a Casa da Musica, o Jardim Botânico. Para um bate-volta, vá a Guatape, uma cidadezinha charmosa e colorida onde se destaca a Laguna de Guatape.

Cartagena das Índias, região bastante famosa por suas praias de água azul cristalino, tem em seu centro histórico linda arquitetura colonial e um conjunto de fortificações, cenário que inspirou o escritor Gabriel García Márquez. Visite o Palácio da Inquisição, a Torre do Relógio, o Forte de San Felipe de Barajas e a Catedral de San Pedro Claver. Faça passeios de barco por Playa Blanca e Islas del Rosario. A agitada noite colombiana dispensa comentários, certo?

A Ilha de San Andres fica próxima à costa do Nicarágua é um excelente destino para a prática de mergulho e curtir praias de areia branca e mar cristalino. Destaque para o passeio de um dia às ilhas Acuario e Johnny Cay.

Ainda dá tempo de recomendar o belíssimo Parque Nacional Natural Tayrona, em Santa Marta?

Valores médios diários para alimentação: R$8-17 para café da manhã; R$15-38 para almoço; e R$25-55 para jantar (não incluídos valores para San Andres, mais elevados).

 

Croácia

Dubrovnik – Croácia

Cotação: 1 Kuna croata é igual a 0,64 Real.

Cidades, atividades e atrações: natureza, história, construções exuberantes e calmaria.

Dubrovnik preservas riquezas centenárias, antigas muralhas, palácios e igrejas deslumbrantes. Não é à toa que ficou conhecida como King’s Landing após as gravações da série Game of Thrones.

Zagreb, a capital croata, se divide entre atrações históricas e modernas. Na Cidade Alta, visite a Igreja de São Marcos, Praça Kaptol, Porta de Pedra e a charmosa rua Tkalčićeva, cheia de bares, restaurantes e cafés com mesas ao ar livre. Na Cidade Baixa, visite a Trg Josipa Jelačić, praça coração de Zagreb com bares, restaurantes e lojas, Mercado Dolac, Parque Zrinjevac e Parque Kralja Tomislava.

Split, uma ilha paradisíaca, proporciona belas paisagens, ótima infraestrutura, bons restaurantes e sítios históricos. Em torno está a Ilha Hvar, com maravilhosas praias, campos de lavanda e vinhedos, ruas de mármore e igrejas góticas.

Não se esqueça do famoso Plitvice National Park – floresta exuberante em meio a inúmeras cachoeiras.

Valores médios diários para alimentação: R$15-28 para café da manhã; R$24-50 para almoço; e R$27-54 para jantar.

 

Índia

Hawa Mahal, Jaipur – Índia

Cotação: 1 Rupia indiana é igual a 0,056 Real.

Cidades, atividades e atrações: construções espetaculares, cidades movimentadas, mercados, vida noturna.

Bangalore ou Bengaluru, a “Cidade Jardim”, é o paraíso da tecnologia. É ainda ponto forte da música e dança clássicas indiana e é cheia de jardins, museus, palácios e templos para explorar. São pontos turísticos imperdíveis: Vidhana Soudha, o Parque Cubbon e o Lago Ulsoor de Bangalore. Possui vida noturna agitada e requintada. Bangalore também é cidade referência para quem deseja viajar com pouco dinheiro.

A caótica e lotada Jaipur é o retrato da Índia que se vê na TV. Cheia de marajás, palácios e encantadores de serpentes, é a casa do Palácio da Cidade, Hawa Mahal e dos fortes Amber e Jaigarh.

Em meio ao mesmo caos está Mumbai. Em seus mercados é comum a barganha sobre o preço de temperos ou lembranças. Caminhar pela praia de Chowpatty até Mani Bhavan, onde Mahatma Gandhi viveu, é uma boa dica de passeio.

Não deixe de visitar: o Taj Mahal e o Forte Vermelho de arenito, em Agra; o Templo Dourado, em Amritsar e a cidade de Varanasi, às margens do Rio Ganges.

Valores médios diários para alimentação: R$12-18 para café da manhã; R$16-30 para almoço; e R$20-35 para jantar (Para Bangalore e Jaipur, considere a metade destes valores).

 

México

Playa del Carmen – México

Cotação: 1 Peso mexicano é igual a 0,21 Real.

Cidades, atividades e atrações: história, tradição, gastronomia renomada, praias, surfe, natureza.

Destino tropical, Cancún acolhe muitos resorts à beira-mar e oferece tanto diversão quando tranquilidade. Excelente ponto para mergulho e atividades ecoturísticas. Destaque neste ponto para a ilha de Contoy e as pirâmides de Cobá. Visite ruínas Maias e passeie pela Isla Mujeres.

– A partir de Cancún, não se esqueça de visitar Chichén Itzá: Pirâmide de Kukulcán, Templo dos Guerreiros, as Mil Colunas, conjunto Las Monjas e muito mais pontos turísticos da região.

Na Cidade do México está o Zócalo, que abriga o Palácio Nacional (onde estão painéis de Diego Riviera) e a Catedral Metropolitana de La Asuncíon de María. Museus incríveis e obras de arte não faltarão nesta viagem, a exemplo do emocionante Museu Frida Kahlo. Na zona arqueológica do Museu Del Templo Mayor, se destacam as Pirâmides de Teotihuacán e o Museu Nacional de Antropologia. Para curtir uma boa música típica mexicana, vá à Praça Garibaldi.

Acapulco se destaca para quem quer aprender a surfar por possuir mar com ondas tranquilas. O Forte San Diego e sua Catedral guardam a história da região, como a curiosa cultura pirata. Há resorts e hotéis luxuosos que garantem bastante conforto aos viajantes.

A Playa Del Carmen tem ganhado bastante destaque pela tranquilidade, mar com vários tons de azul e areia branca. Aproveite para relaxar, tomar uma bebida refrescante sob os coqueiros e curtir uma atmosfera fantástica.

Valores médios diários para alimentação: R$12-18 para café da manhã; R$15-21 para almoço; e R$18-24 para jantar (esses valores não são válidos para Acapulco e Cidade do México, de valores mais altos).

 

Tailândia

Bangkok – Tailândia

Cotação: 1 Baht tailandês é igual a 0,12 Real.

Cidades, atividades e atrações: vida noturna, belezas naturais, praias, esportes náuticos, religiosidade.

Bangkok, capital da Tailândia, possui templos e monumentos grandiosos e ao mesmo tempo é dona de uma vida noturna agitadíssima, com bares requintados no topo de arranha-céus. O Wat Pho é o tempo sagrado onde está a estátua de mais de 40 metros do Buda Inclinado. Não deixe de visitar o Chatuchak Market, o maior mercado de final de semana do mundo.

Chiang Mai é a capital espiritual da Tailândia. Possui uma infinidade de templos sagrados, incluindo o Wat Phratat Doi Suthep. Por lá, ainda é possível fazer divertidos passeios com elefantes.

Ayutthaya foi tombada como Patrimônio Mundial pela Unesco e apresenta inúmeras ruínas, templos lendários e museus. Lá está uma estátua deitada de Buda de mais de 30 metros de cumprimento.

As ilhas Phi Phi têm águas cristalinas e paredões rochosos que proporcionam paisagem paradisíaca. Railay Beach é conhecida por, além das praias incríveis, trilhas ecológicas e cavernas pouco exploradas. Khao Lak, por sua vez, é conhecida por lindas praias, restaurantes sofisticados e boa rede de hotéis. Mergulhos e esportes náuticos são indicações para a ilha Koh Tao. São excelentes destinos para viajar com pouco dinheiro e curtir o melhor da natureza.

Valores médios diários para alimentação: R$7-15 para café da manhã; R$9-42 para almoço; e R$11-46 para jantar (sendo os preços mais elevados relativos a Bangkok).

 

Se essa lista ainda não foi suficiente para você decidir para onde viajar com pouco dinheiro, pesquise também por: Bolívia, Chile, Egito, Filipinas, Indonésia, Marrocos, Peru, Uruguai, Vietnã e Turquia. Opções de destinos com o Real valorizado não faltam!

 

Problemas com voo

Para quaisquer problemas com voo, é bom estar preparado e conhecer os seus direitos a fim de evitar maiores danos. Para voo cancelado ou atrasado por mais de 4 horas, conheça aqui os seus direitos. Clique aqui em caso de alteração e de voo e aqui em caso de embarque negado.

 

Caso deseje conferir os demais direitos do viajante, acesse a Resolução nº 400/2016, da ANAC.

Postado em: setembro 27, 2018

5 passos definitivos para perder o medo de avião

Medo de avião é um assunto sério. Seja por medo de altura, desconforto por estar em lugar fechado, medo de acidentes ou da sensação de voar, muitas pessoas precisam enfrentar este problema nos dias de hoje porque as viagens por meio aéreo são verdadeiramente essenciais.

Não dá para perder aquela esperada oportunidade de emprego, de estudar fora ou viagem incrível planejada há meses por medo de realizar o trajeto. Mas fique tranquilo: existem saídas para enfrentar e até superar este medo de avião.

Para contribuir com essa sua vitória, a QuickBrasil reuniu as informações mais efetivas sobre o assunto e estudou algumas posturas que você pode adotar para alcançar este objetivo. Estes 5 passos são fundamentais para que viajar de avião se transforme no menor dos seus problemas.

 

E a pergunta da vez é:

Como perder o medo de viajar de avião?

Para vencer o medo de avião você deve começar desmitificando fatos sobre o funcionamento da aeronave e estatísticas sobre voo. Em seguida, passe dominar o assunto e descubra as melhores estratégias para desafiar o seu medo (muitas ensinadas aqui). Por fim, adotando posturas tranquilizadoras, você será capaz de realizar viagens sem nenhum sofrimento.

 

1º PASSO: entenda o seu medo

Você fica apreensivo na hora de viajar? Seu medo é de altura, de voar ou de locais fechados? Primeiro, devemos entender que o medo de avião pode significar tanto temor do objeto em si quanto de todas as variantes que um voo apresenta. Por disso, buscar a origem dessa aversão é bastante importante.

As fobias, por exemplo, resultam de experiências traumáticas ou de eventos estressantes. Um passageiro pode ter tido uma experiência anterior ruim com voos ou se sentir estressado em razão de tudo o que a viagem pode lhe impor: altura, locais fechados, não estar no controle da situação nos ares etc.

Procure entender o seu problema para encontrar as soluções específicas para ele. Em todo caso, se você não tiver aversão, medo de avião, e sim sentir graves sintomas de desconforto físico ou mental, fobia ou pânico, procure um médico especializado que possa aplicar um tratamento adequado ao seu caso.

 

2º PASSO: se informe sobre o funcionamento dos aviões

– Aprender a teoria sobre o funcionamento dos aviões lhe ensinará que um objeto tão pesado como a aeronave pode perfeitamente se manter no ar e garantir a segurança de seus passageiros. Use as ferramentas de pesquisa online, busque livros, encontre blogs de especialistas no assunto, visite o aeroporto fora do horário da viagem e conheça também o seu funcionamento.

– A tecnologia investida em aviões faz com que sejam mesmo um dos meios de transporte mais seguros do mundo. Para que um acidente seja inevitável, é preciso que uma infinidade de erros sucessivos ocorra.

– Além disso, você deverá procurar informações sobre a manutenção das aeronaves. Os aviões passam por manutenções regularmente por vários motivos, seja por necessidade de reparos (por menores que sejam) ou manutenção de rotina. Nenhum avião é liberado para atividade sem que esteja em perfeitas condições para voo.

– Conhecer a atuação dos controladores de voo também é interessante para que se compreenda o nível de segurança do sistema de transporte aéreo. A função deles é justamente definir as rotas de cada voo, oferecendo auxílio a mais sempre que necessário. Não é porque o avião está em pleno voo que você deve imaginar que a tripulação está sem orientação adequada sobre o tráfego aéreo e condições climáticas.

– Saiba ainda que poucas formações são tão longas quanto a formação do piloto. O nível de segurança imposto aos comissários de bordo é bastante rígido.

– Entenda que turbulências são normais. Elas acontecem quando a aeronave passa por uma área de baixa ou alta pressão. A ideia é de um carro dirigido por estradas rochosas ou com buracos. As turbulências não afetam em nada a segurança do voo, estando os pilotos mais preocupados em acalmar os passageiros e evitar que os alimentos sejam derrubados ou derramados que com a atuação da aeronave neste período.

– É importante que, ao buscar informações, você não busque más notícias. Não fique focado em ler sobre acidentes de avião e histórias de pânico, nada disso fará você se sentir melhor. Além disso, em vez de lhe trazer calma e controle, este tipo de informação alimentará os seus medos e ansiedade.

 

3º PASSO: conheça as estatísticas

O risco de sofrer um acidente de avião existe, mas é muito baixo. Você certamente sabe que o carro ainda é o meio de transporte menos seguro, vindo antes da moto, da bicicleta, do ônibus e do trem.

Saiba que o ano de 2017 foi o mais seguro para o transporte aéreo mundial desde 1946, ano em que sequer existiam estatísticas sobre acidentes de avião. No ano passado ocorreram 10 acidentes com aviões que transportavam passageiros, sendo 44 vítimas fatais. Em 2016, o segundo ano mais seguro para a aviação civil, foram 16 acidentes com voos comerciais, com 303 vítimas.

Lembrando que foram realizados aproximadamente 36,8 milhões de voos em 2017. Imagine que cada voo comercial pode transportar de 50 a 200 passageiros. E todas essas informações sobre as estatísticas você encontra aqui.

Em setembro de 2016 (segundo ano mais seguro para o transporte de passageiros), a Revista Exame publicou uma matéria, com estatísticas curiosas como:

– 1 em 11 milhões são as chances um passageiro morrer em um acidente de avião;

– 1 em 5 mil são as chances de ser vítima fatal em um acidente de carro, o que significa que a parte mais perigosa da viagem é o caminho até o aeroporto;

– 1 em 3,7 milhões são as chances de ser atacado por um tubarão;

– 95,7% das pessoas sobrevivem a acidentes aéreos. Você precisaria voar todos os dias por 10 mil anos até morrer em um acidente de avião.

Em 2017, com o menor número de acidentes ocorridos, a probabilidade de ser vítima fatal num acidente de avião passou a ser 1 em 16 milhões.

 

4º PASSO: prepare-se adequadamente para a viagem

1. Ao comprar suas passagens:

– Escolha voos diretos para que a viagem dure menos tempo sem as escalas ou conexões;

– Opte por voos diurnos se o seu medo de avião estiver ligado a voar de noite, o que te dá uma desagradável impressão de estar enfrentando o desconhecido;

– Ao reservar seu assento, escolha um lugar no corredor se você tem medo de altura;

– Escolha também um assento que esteja sobre as asas, parte mais estável da aeronave.

2. Separe corretamente toda a documentação necessária: há viajantes que não suportam o estresse causado pela viagem. Para evitar problemas com a sua reserva ou problemas com embarque, separe em sua bagagem de mão toda a documentação necessária para a viagem.

3. Invista em tranquilidade: antes de viajar, procure ter boa noite de sono e não deixe assuntos pendentes. Além disso, separe roupas confortáveis para usar enquanto voa.

4. Alimente-se adequadamente: evite alimentos gordurosos, bebidas alcoólicas e cafeína (café e energéticos) em excesso. Estes alimentos podem causar desconfortos, sensação de inchaço e atrapalhar a boa digestão. Já as bebidas alcoólicas têm efeito desidratante no corpo e a cafeína pode atrapalhar o seu ciclo de sono, fazendo com que tenha um péssimo dia após o voo. Prefira comer frutas, alimentos com boa quantidade de proteínas (bons para a saciedade) e mantenha-se hidratado.

5. Chegue com antecedência ao aeroporto: a pressa é um fator que pode atingir diretamente a sua tranquilidade. Chegue cedo ao aeroporto, identifique o balcão de atendimento da empresa aérea que realizará o voo, faça o check in, despache suas bagagens e aguarde tranquilamente até a hora do embarque. Com alguma frequência, confira nos painéis do aeroporto a situação de seu voo e o portão de embarque.

6. Conheça seus direitos como viajante: imprevistos acontecem e ter o voo cancelado ou atrasado são situações bastante desconfortáveis. Saiba que você não é obrigado a permanecer desamparado no aeroporto enquanto espera por uma solução ou sequer precisa esperar em algumas hipóteses. Há uma série de direitos do consumidor e do passageiro que te protegem nessas situações. Para conhecê-los, leia este post completo sobre o assunto.

Para reclamar formalmente sobre cancelamento ou atraso de voo superior a 4 horas e receber indenização rápida e sem burocracia, lembre-se de que a QuickBrasil estará sempre aqui para te ajudar. Acesse nossa página principal.

 

5º PASSO: desafie o medo de avião

Enfrentar o medo de avião é provavelmente uma das formas mais efetivas de superá-lo. Já ouviu alguém dizer que quanto mais você evita algo, mais poder sobre você aquela coisa passa a ter? Pois essa afirmação é um mecanismo bastante conhecido pela psicologia.

Para os mais curiosos, essa técnica é um tratamento que se chama terapia cognitivo-comportamental e consiste em encorajar o paciente a livrar-se dos seus medos apresentando argumentos lógicos e estimulando a exposição lenta, gradual e segura àquilo que causa sua aflição.

Colocando em prática os 4 passos anteriores, você certamente chegará neste 5º passo bastante preparado. Além de todo o conhecimento que você já tem agora, apresentamos mais algumas dicas para que você realize o voo da forma mais tranquila possível:

paz para perder o medo de avião

1. Concentre em outras atividades: leia um livro, assista algo, ouça música, converse com seus companheiros de viagem, tire um longo cochilo.

2. Respire corretamente: para manter o equilíbrio físico e mental, inspire lentamente pelo nariz e expire pela boca até que todo o ar saia dos pulmões.

3. Faça uma visualização guiada: pense em coisas ou lembranças que tragam tranquilidade, segurança, paz.

Uma alternativa para desafiar o medo de avião que não seja embarcar em uma aeronave é a simulação de voo. Essa opção é oferecida hoje como forma de tratamento para o medo e funciona como uma realidade virtual que simula desde chegada do passageiro ao aeroporto, embarque, voo, aterrissagem e chegada no destino.

Seguindo estes 5 passos (recheados de dicas, diga-se de passagem) com dedicação você será capaz de enfrentar e superar o medo de avião. A partir daí nós desejamos que você viaje muito, aproveite as oportunidades profissionais e pessoais e divirta-se bastante.

Caso deseje conferir os demais direitos do viajante acesse esse artigo sobre os direitos do passageiro. Também pode acessar a Resolução nº 400/2016, da ANAC.

Algumas outras dicas para viajar de avião fornecidas para nós pelo site FlightRadarWeb:
Dicas para voar infografico

Postado em: agosto 29, 2018